Ex-bailarina do Faustão é rainha das novelas de app: conheça Markelly Oliveira

Markelly Oliveira é a criadora mais assistida do TeleKwai (foto: Acervo Pessoal)
Markelly Oliveira é a criadora mais assistida do TeleKwai (foto: Acervo Pessoal)

Resumo da Notícia:

  • Kwai é um aplicativo de vídeos curtos que tem mais de 50 milhões de usuários no Brasil

  • Markelly Oliveira é a criadora de conteúdo número 1 do TeleKwai

  • A plataforma tem uma série de criadores de vídeos roterizados, como novelas

Você com certeza já foi impactado com algum vídeo de Markelly Oliveira. A mineira de 27 anos conseguiu se reinventar no último ano e se transformou na criadora de conteúdo mais assistida do TeleKwai, o seguimento de ‘novelas’ do aplicativo de vídeos curtos.

Atriz por formação, ela começou a carreira na televisão como bailarina do Faustão, posto que ocupou por três anos e a ajudou a se destacar e aprender mais sobre televisão. Mas antes de entrar no time do apresentador, ela fez dois anos do curso de atuação da Escola de Atores Wolf Maya.

“Quando terminei o curso não trabalhei como atriz. Fui trabalhar como modelo, depois me tornei musa da Gaviões da Fiel, que sou até hoje, e entrei no balé do Faustão, que fiquei até 2019. Mas durante este tempo não conseguia me dedicar às redes sociais, por exemplo”, afirma Markelly em conversa com o Yahoo.

Conhecida atualmente como Markelly Em Ação, que é o nome do seu canal, ela começou a trabalhar na plataforma sem grandes pretensões. “Sempre gostei de atuar, de brincar, mostrar meus sentimentos e foi uma oportunidade perfeita”, avalia.

O trabalho com as redes sociais começou no segundo semestre de 2020, quando participou da ‘Mansão Maromba’, do influenciador Toguro e em seguida da mansão do criador de conteúdo Henrique Lima. “Aprendi bastante sobre criação de conteúdo e o ritmo de trabalho do digital”, pontua.

Vídeos do Kwai

Durante o período de confinamento por conta da pandemia de covi-19 ela recebeu uma proposta da plataforma para desenvolver vídeos roteirizados, o que eles chamam de TeleKwai. Mais de 180 contas produzem as ‘novelas’ para o aplicativo e Markelly é a maior e mais vista.

Com vídeos de ação, comédia, drama e tragédia, que contam sempre com uma reflexão, ela ganhou o público na plataforma e fora dela. Um dos que mais viralizou fora da plataforma chinesa é um em que ela é largada pelo namorado durante o chá revelação por esperar uma menina.

“Já tinha feito um pedaço do roteiro deste vídeo, mas não tinha gravado. Um dia acordei e tinha uma galera na minha casa e pedi para todo mundo me ajudar. Cada um gravou de um ângulo com seu celular, só tinha um balão para estourar... foi um corre, mas deu certo”, lembra.

Um outro que caiu nas graças do público do Twitter é sobre a mentira. Na agravação Markelly está com uma amiga e encontra o namorado trabalhando em uma obra. Ele é pedreiro, mas para a amiga diz que é engenheiro. “Queria passar a mensagem sobre e por isso usei o exemplo do relacionamento. Foi o mais rápido que já gravei até hoje, demorou cerca de 30 minutos”, explica.

Com 3,4 milhões de seguidores só no Kwai, e mais 1,8 milhões no TikTok, ela tem uma frequência de 5 vídeos por semana e consegue se manter com a receita que ganha da plataforma. “Amo o que faço e faço tudo até publicar. Tem muita alma, muita dedicação nesse processo todo. Me doo bastante”, ressalta.

Junto com o sucesso nas redes sociais, vem as críticas. “Não levo para o lado pessoal e se tem fundamento aceito na boa. Quando as pessoas falam de roteiro então, gosto mais. Quando as pessoas questionam a abordagem e tal não ligo, porque corri atrás das coisas na minha vida e agora elas estão acontecendo”, aponta.

Reconhecida na rua por seguidores, ela começa a colher os frutos do trabalho também com publicidade, mas o foco ainda é o trabalho. “Não consigo sair com meus amigos, ir para a balada, mas sei que são escolhas. Se está dando certo e amo o que faço, quem for amigo de verdade, vai entender”, deseja.

Produção

Markelly lança cerca de cinco vídeos por semana e alguns chegam a ter 300 takes, ou seja, 300 gravações diferentes para juntas e editadas se tornarem um vídeo de 2 minutos. Todos eles são editados no celular mesmo, um iPhone 13, pelo aplicativo Kinemaster.

O áudio é captado por um microfone sem fio, mas se mesmo assim não ficar bom ou tiver muito ruido, ela salva na edição. “Dublo a cena gravando o áudio por cima no aplicativo mesmo. Os primeiros vídeos eram sempre dublados”, entrega.

A jovem de 27 anos vem de uma cidade de 11 mil habitantes no inteiror de Minas Gerais e sonho grande. “Estou montando uma equipe para me ajudar. Quero ter umas 20 pessoas trabalhando comigo em breve. Abrir minha produtora, dar consultoria para outros criadores. Quero criar uma coisa profissional mesmo”, profetiza.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos