Vídeo: Deputada Isa Penna denuncia assédio sexual em sessão da Alesp

·2 minuto de leitura

A deputada estadual por São Paulo Isa Penna (PSOL) denunciou ter sofrido assédio sexual cometido pelo também deputado estadual Fernando Cury (Cidadania).

Um vídeo gravado pela câmera da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), durante a sessão extraordinária na noite de quarta-feira (16), mostra o parlamentar se aproximando por trás da deputada e passando a mão em seu seio.

As imagens mostram que Cury conversa com outro deputado e faz menção de se dirigir até onde está Isa Penna, apoiada na bancada conversando com o presidente da Alesp, Cauê Macris (PSDB). Cury retorna a conversar com o colega e vai até Isa. Nesse momento, é possível ver que o parlamentar que fala com Cury tenta segurá-lo pelo braço.

Leia também

Ele então caminha em direção à deputada, se aproxima por trás e coloca a mão direita na lateral de seu seio, enquanto dirige a palavra a Macris. O deputado ainda desliza a mesma mão pela cintura da parlamentar.

Imediatamente, Isa afasta a mão dele e o confronta. Enquanto discutem, Cury tenta novamente colocar a mão no ombro esquerdo da parlamentar, mas é de novo repelido por ela. Os dois ainda conversam por mais alguns momentos, e depois Cury se afasta.

Isa afirmou, nas redes sociais, que registrou na Polícia Civil um boletim de ocorrência por assédio sexual e protocolou uma denúncia formal por quebra de decoro contra Cury no Conselho de Ética da Alesp.

Ainda segundo a parlamentar, conhecida por atuar em prol do combate à violência contra as mulheres, esse não é foi caso excepcional. “Minhas amigas e colegas de partido Erika Malunguinho e Mônica Seixas já foram assediadas em ocasiões anteriores”, relata ela.

A parlamentar também usou o plenário da Alesp nesta quinta-feira (17) para denunciar o assédio sofrido:

Na denúncia enviada ao Conselho de Ética e Decoro, Isa Penna acusa Cury de importunação sexual e quebra de decoro e afirma que "não deu consenso para a aproximação" e que o ato se trata de "nítido intuito libidinoso".

"Parece que o agressor desconhece e, por isso, faz-se necessário afirmar que o corpo de toda e qualquer pessoa é de seu estritlo controle e que, portanto, qualquer contato deve ser consentido expressamente. Ao fazer contato com as regiões de maior intimidade resta inquestionável o assédio sexual", diz o documento, segundo o Globo.

O Yahoo Notícias! entrou em contato com o parlamentar e aguarda o posicionamento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos