Alternativa à fome

20 de julho de 2012

SCRIPT:Espremido entre a estação de metrô Bellas Artes e um prédio onde funcionava o Hotel Hilton, este não é bem o lugar para se encontrar uma horta.Mas o espaço recentemente abandonado agora ganha vida – em fileiras de alface, acelga e beterraba.Estas áreas fazem parte de um projeto criado pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez. O objetivo é encorajar a população de baixa renda a cultivar o próprio alimento e a se proteger do aumento dos preços. SONORA 1 – Juan Prieto, voluntário“Se todos os venezuelanos estivessem cientes disso, uma grande porcentagem poderia ser autosuficiente com um pequeno loteamento urbano. Podemos suprir nossas próprias necessidades e dificilmente ter de ir ao supermercado para comprar algo”.Rica em petróleo, a Venezuela sofre, há muito tempo, com a baixa produção na agricultura. Setenta porcento da comida é importada, o que deixa a população mais pobre vulnerável à escassez periódica de alimentos básicos como leite e óleo de cozinha. Famílias que trabalham aqui afirmam que os gastos com comida caíram pela metade.SONORA 2 – Luis Torrealba, voluntário “Graças ao loteamento, nossa economia é enorme…podemos guardar dinheiro para outras coisas, como finalizar a obra de nossa casa”.O governo fornece de graça sementes, instrumentos e treinamento em agricultura orgânica. Mas a oposição afirma que é um disperdício de dinheiro que não vai ajudar a resolver a crise da agricultura.Mais de 21 mil loteamentos urbanos como estes já estão sob cultivo...SHOTLISTCARACAS, VENEZUELA, 20/06/12Imagens de loteamentos urbanos;Pessoas plantando e regando os loteamentos;Voluntário chegando em casa com legumes e a esposa preparando a comida;Pessoas plantando.