Ato no Chile lembra desaparecidos da era Pinochet

AFP

Milhares de chilenos fizeram uma passeata, neste domingo, em memória dos detidos e desaparecidos na ditadura de Augusto Pinochet. A marcha foi em ocasião da proximidade do 39° aniversário do golpe que derrubou Salvador Allende do poder, em 11 de setembro de 1973. Paralelamente ao protesto, homens encapuzados lançaram pedras em prédios públicos, destruíram semáforos e atiraram pedras e outros objetos contra a polícia, que respondeu com jatos d'água e gás lacrimogêneo. A ditadura de Pinochet durou 17 anos, até 1990. Mais de três mil pessoas acabaram mortas no período. Outras 37 mil foram presas. Os tribunais chilenos mantêm 350 ações em aberto por desaparecimentos, torturas, detenções ilegais ou conspirações. --SANTIAGO, CHILE09/09/2012FONTE: AFPTakes da manifestaçãoTakes de um tumulto entre os manifestantes e a políciaVAR of activists from the Chilean human rights organization "Detained and Disappeared Persons" taking part in a demonstration.MS of activists carrying a banner with a portrait of Salvador Allende.VAR of activists shouting slogans.MS of a man dressing as Salvador Allende.VAR of activist arriving at a cemetery in Santiago where identified victims of the dictatorship (1973-1990) of general Augusto Pinochet have been buried.VAR of activist in the cementery.CU of people crying in the cementery.MS of activist in the cementery.VAR of protestors clashing with the riot police as activists of human rights organizations and other demonstrators take part in the march in the streets of Santiago.