Comentarista esportivo especial

Este homem, que é cego, trabalha como comentarista de críquete no Zimbábue.Dean Du Plessis usa a audição e os conhecimentos profundos do esporte para explicar as partidas ao vivo por rádio e TV.Sonora 1 - Dean Du Plessis, comentarista de críquete:"Nasci com um tumor nas duas retinas. Era para eu viver até no máximo cinco meses, mas estou com 35 anos”. Graças a microfones, o comentarista ouve a velocidade e o até mesmo o giro da bola. Ele também escuta os jogadores e os ruídos que fazem. Sonora 2 - Dean Du Plessis, comentarista de críquete:"Quando Marcus Trescothick batia na bola, sempre dizia ‘corre’. Já Andrew Strauss falava: ‘sim, vamos, vamos, vamos’. Eles eu sempre identifiquei. Foi maravilhoso ouvir os dois porque eu sempre sabia exatamente quem estava fazendo o quê ".É essa capacidade que impressiona tanto os jogadores em campo quanto quem ouve os comentários de casa. Sonora 3 - Kevin Curran, treinador de críquete:"Se você não soubesse que ele é cego, jamais desconfiaria”.Sonora 4 - Mark Mbofana, jogador de críquete:"Ele sabe o que está acontecendo no campo e para uma pessoa com deficiência visual isso é muito difícil". Apesar deste talento, Dean trabalha apenas como comentarista convidado na imprensa do Zimbabué. Ele sonha com a chance de poder comentar em tempo integral sobre jogos internacionais para um canal de esportes, quem sabe, mundial. --HARARE, ZIMBÁBUE, 01/02/2012FONTE: AFPTVDean Du Plessis comenta jogo em campo de críquete Sonora 1 - Dean Du Plessis, comentarista de críqueteSonora 2 - Dean Du Plessis, comentarista de críqueteSonora 3 - Kevin Curran, treinador de críqueteSonora 4 - Mark Mbofana, jogador de críquete