Dor ainda viva

Décadas de terror separatista deixaram marcas que um pedido de perdão não consegue acabar. A dissolução do grupo basco ETA está prevista para o começo de maio e muita gente ainda tenta lidar com a dor.