Ex-guarda nazista afirma em julgamento que sente vergonha

Um ex-guarda de um campo de concentração nazista, julgado na Alemanha por cumplicidade em centenas de assassinatos, disse ter vergonha de ter sido um SS. O acusado, de 94 anos, serviu entre 1942 e 1944 no campo onde 65.000 pessoas foram assassinadas.