Jovens da Pussy Riot são condenadas

AFP

Um tribunal russo considerou nesta sexta-feira as integrantes da banda punk Pussy Riot culpadas. Elas foram acusadas de vandalismo por terem invadido o altar da famosa catedral de Cristo Salvador, em Moscou, e cantado uma música de protesto contra o presidente, Vladimir Putin.A juíza do caso considerou que as garotas planejaram o ato, em fevereiro, cuidadosamente. E que não expressaram arrependimento pelas ações, além de terem violado a ordem pública e ofendido o sentimento dos fiéis. A decisão foi criticada por ativistas.Sonora 1 - Sergei Udaltsov, líder da Frente de Esquerda:"Não importa se as pessoas gostam deste grupo e de suas ações ou não. Está claro que o que elas fizeram, absolutamente, não foi crime”.Sonora 2 - Sergei Udaltsov, líder da Frente de Esquerda:"Elas insultaram um presidente que nós não consideramos legítimo porque não houve eleições limpas. É por isso que este julgamento não é justo”.A sentença ainda não foi pronunciada. As jovens, de 22, 24 e 30 anos, podem pegar até três de prisão pelo o que a promotoria chamou de “incitação ao ódio religioso”.--MOSCOU, RÚSSIA17/08/2012FONTE: AFPTVJornalistas em frente ao tribunalTakes das integrantes da banda Pussy RiotDuas sonoras de Sergei Udaltsov, líder da Frente de EsquerdaTakes das acusadas