'Não somos animais', dizem francesas presas na Síria após deixar

Elas fugiram do grupo Estado Islâmico (EI), que agoniza no leste da Síria, mais por fome do que por arrependimento: Chloé e Chaïma, duas francesas entrevistadas pela AFP, estão dispostas a voltar para seu país, mas sem sacrificar sua interpretação estrita do Islã e para serem julgadas de forma igualitária, não como "animais".