Prisão perpétua para assassino de Terre'Blanche

22 de agosto de 2012

SCRIPT:O trabalhador agrícola negro considerado culpado do assassinato do líder de extrema-direita sul-africano Eugene Terre'Blanche foi condenado nesta quarta-feira à prisão perpétua pelo tribunal de Vendersdorp. Chris Mahlangu, que tinha 28 anos no momento do crime, foi declarado em 22 de maio culpado de ter agredido até a morte o fundador do Movimento de Resistência Afrikaner, um pequeno grupo de ultradireita que prega a supremacia branca. Outro réu, Patrick Ndlovu, de 18 anos e que era menor de idade na época, foi considerado culpado apenas de violar a residência da vítima e foi condenado a dois anos de prisão condicional. A morte de Eugene Terre'Blanche desencadeou reações em 2010 e provocou temores do ressurgimento da violência antes da Copa do Mundo de Futebol, que aconteceu na África do Sul. No dia do crime, os dois acusados alegaram ter discutido com o patrão por um problema com o pagamento e admitiram o homicídio. Depois se retrataram. Patrick Ndlovu alegou que vivia na casa de Terre'Blanche em um clima de terror verbal e físico. Negou qualquer envolvimento e afirmou que o líder de extrema-direita já estava morto quando chegou ao local. Já Chris Mahlangu disse que atuou em legítima defesa quando Terre'Blanche avançou contra ele com um machado e afirmou que já havia sido agredido sexualmente.SHOTLIST:IMAGENS DE ARQUIVO FONTE: AFP