Retalhos da Aids

AFP28 de julho de 2012

O Aids Memorial Quilt voltou para a capital americana depois de 25 anos. Além de estar com mais de 45.000 novos retalhos – que representam aqueles que morreram vítimas da doença - o memorial móvel agora tem uma ferramenta online que ajuda os visitantes a navegar pelos mais de 94.000 nomes costurados na colcha.Sonora 1 - David Godbout, filho de vítima da Aids:"Este aplicativo é muito bacana, porque você pode selecionar os dados da pessoa que está procurando, clicar e ele vai te mostrar onde a foto está”.Já um outro aplicativo conta os 30 anos de história da Aids. Sonora 2 - Dale MacDonald, gerente de tecnologia em Annenberg Innovation Lab:"Parte do nosso objetivo em trazer aplicações digitais aqui para Washington, é lembrar as pessoas do contexto da colcha. É muito importante mostrar como a trajetória dela se encaixa na história da Aids".Stephanie perdeu quatro familiares para o vírus HIV, e também é uma portadora. Ela espera que o fato de todo mundo poder ver a colcha de vítimas na internet ajude na conscientização. Sonora 3 - Stephanie Laster, filha de vítima da Aids:“Acho que é uma ferramenta educacional, que provavelmente vai nos ajudar com mais pesquisas. Às vezes, as pessoas tendem a pensar que o HIV não é mais um grande problema”.Scott visitou o memorial pela primeira vez, na esperança de encontrar amigos imortalizados nestes retalhos. Sonora 4 - Scott Perkinson, visitante:"Estava procurando um monte de gente. Morei em Houston, no Texas, na crise da Aids dos anos 1980. Perdi muitos amigos”.Para Scott e tantos outros que perderam pessoas que amavam, esta tecnologia, que dá face às vítimas da Aids, é um passo a mais na cicatrização de uma ferida difícil de ser esquecida. --WASHINGTON, EUA22/07/2012FONTE: AFPTVTakes do AIDS Memorial Quilt, em National Mall Sonora 1 - David Godbout, filho de vítima da AidsSonora 2 - Dale MacDonald, gerente de tecnologia em Annenberg Innovation LabSonora 3 - Stephanie Laster, filha de vítima da AidsSonora 4 - Scott Perkinson, visitante