Youtube x QAnon

Acompanhando o Twitter e o Facebook, o YouTube anunciou nesta quinta-feira novas regras que proíbem 'conteúdo direcionado a indivíduos ou grupos de pessoas com teorias de conspiração que foram usadas para justificar a violência na vida real'. Próximo às eleições de 3 de novembro, as redes sociais tem se esforçado em demonstrar que não são veículos de mensagens de ódio e desinformação.