Vietnã recebe os primeiros corpos de migrantes encontrados mortos no Reino Unido

Por Tran Thi Minh Ha
Parentes carregam o caixão de Nguyen Van Hung no distrito de Dien Chau, na província de Nghe An

Os corpos de alguns dos 39 migrantes vietnamitas encontrados mortos em outubro em um caminhão frigorífico perto de Londres foram repatriados nesta quarta-feira ao Vietnã, após semanas de angústia das famílias.

O avião da Vietnam Airlines procedente do Reino Unido pousou no aeroporto de Hanói durante a manhã com 16 corpos a bordo, informou à AFP uma fonte do serviço de segurança.

Os cadáveres foram transportados a bordo de ambulâncias para suas províncias na região central do Vietnã.

"Esperamos este momento por muito tempo e vamos organizar o funeral", afirmou Vo Van Binh, que perdeu o filho na tragédia.

Os demais 23 corpos devem ser repatriados nos próximos dias.

Os cadáveres de 31 homens e oito mulheres foram encontrados em 23 de outubro dentro de um caminhão na zona industrial de Essex, ao leste de Londres. O contêiner do caminhão teve como origem o porto belga de Zeebrugge.

A polícia acreditou em um primeiro momento que as vítimas eram chineses, mas suas famílias no Vietnã advertiram que poderiam ser os seus parentes.

Muitas famílias foram obrigadas a recorrer a empréstimos significativos com o governo para pagar o custo da repatriação (1.774 dólares para repatriar apenas as cinzas ou 2.858 dólares para pagar pelo caixão com o corpo).

As autoridades vietnamitas incentivaram as famílias a optar pelas cinzas "para garantir a velocidade, o baixo custo e a segurança à saúde". Mas algumas preferiram pagar mais para repatriar os corpos e celebrar um funeral tradicional.

A cremação é rara na região central do Vietnã, de onde procediam a maioria das vítimas.

As 16 vítimas que chegaram nesta quarta-feira ao Vietnã eram de três províncias: Nghe An, Ha Tinh e Quang Binh.

A tragédia comoveu o país e expôs os riscos da imigração ilegal para o Reino Unido, um dos principais destinos dos migrantes do Vietnã.

Várias famílias explicaram à AFP que já estavam endividadas quando pagaram a viagem clandestina dos parentes à Europa e que não têm dinheiro para pagar pelo retorno dos corpos.

Muitos migrantes vietnamitas acabam trabalhando em salões de beleza ou plantações de maconha no Reino Unido.

Vários dos 39 mortos em outubro no Reino Unido pagaram milhares de dólares a traficantes que garantiram que o caminhão era o meio de transporte mais seguro, afirmaram as famílias.

Na segunda-feira, o motorista do caminhão, Maurice Robinson, um norte-irlandês de 25 anos, se declarou culpado de ajudar na imigração ilegal.