Vigilância total no réveillon: Copacabana será monitorada por 250 câmeras

Aberto na virada de 2010/2011, o Centro de Operações Rio (Cor) inaugura sua primeira expansão neste sábado, justamente para monitorar mais uma edição do réveillon. A sala de comando na Cidade Nova foi expandida de 70 para 125 monitores de 75 polegadas que vão reproduzir imagens de cerca de 2, 5 mil câmeras instaladas por toda a cidade. Só no entorno de Copacabana, serão 250 câmeras distribuídas entre a orla marítima, ruas internas e pontos de bloqueio ao bairro. A expansão está sendo feita com investimentos do consórcio Smart Luz, que também faz a gestão do sistema de iluminação da cidade em uma parceria público-privada com a prefeitura.

— A última grande modernização do Cor, com a implantação de câmeras , ocorreu às vésperas das Olimpíadas em 2016. No governo passado, houve problemas com a manutenção e o total de câmeras caiu para cerca de 300. Com a PPP, o sistema está sendo aperfeiçoado e ampliamos a oferta de câmeras . Temos quatro instaladas no alto de hotéis (Othon, Arena, Fairmont e Hilton) com zoom que amplia a imagem em 52 vezes. Os equipamentos ajudarão a fiscalizar a orla e acionar as equipes da prefeitura em caso de necessidade — disse o chefe-executivo do COR, Alexandre Carderman.

Além das câmeras, o COR terá dois drones que vão enviar imagens para a central, principalmente durante o dia. O objetivo será monitorar os pontos de bloqueio, a chegada do público e ajudar os fiscais da Secretaria de Ordem Pública (Seop) a monitorar o comércio ambulante.

Segundo Carderman, o COR passa a ser o centro de monitoramento com mais telões da América Latina. O maior até então era de Salvador, com cerca de cem monitores. Além de Copacabana, os equipamentos vão acompanhar a evolução das comemorações em outros pontos da cidade. Haverá shows também na Zona Norte (Parque Madureira, Piscinão de Ramos, Penha e Ilha do Governador) e também na Zona Oeste (Guaratiba e Sepetiba). Na Barra da Tijuca e no Recreio dos Bandeirantes, 12 hotéis terão queima de fogos. Haverá shows também na Ilha de Paquetá e também apresentação de artistas e queima de fogos no Flamengo.

A expansão do COR deve terminar até o fim de 2023, com a previsão do sistema chegar a 10 mil câmeras bem como de uma rede de wi-fi pública. Uma Central de Monitoramento do Consórcio Smart Luz está sendo construído em um prédio em anexo ao COR. Entre as novas instalações projetadas está um Data Center onde ficarão os provedores de câmeras e equipamentos de GPS. O espaço funcionará em uma espécie de cofre forte, com acesso controlado.

— A proposta é que todo esse sistema funcione de forma integrada. No futuro, com base em informações de rotina da cidade, essas câmeras poderão de forma remota detectar anormalidades nas rotinas da cidade e enviar um alerta para o Centro de Operações. Isso vai ajudar às equipes do município a reagir mais rápido a ocorrências, como por exemplo, acidentes de trânsito — disse o chefe executivo do Centro de Operações.