Vik Muniz usa cinzas do Museu Nacional para criar obras em que reproduz peças perdidas em incêndio

Saulo Pereira Guimarães
O fotógrafo e artista plástico Vik Muniz fez uma exposição com obras feitas com as cinzas coletadas no incêndio do Museu Nacional

RIO - RIO — Cinzas do Museu Nacional viraram matéria-prima para uma série de novas obras do artista plástico Vik Muniz. Os trabalhos, que foram apresentados em Nova York no mês passado, deverão fazer parte de uma exposição prevista para março de 2020 no Centro Cultural Casa da Moeda, no Centro.

Localizado na Quinta da Boa Vista, o Museu Nacional abrigava um dos maiores acervos da América Latina até ser destruído por um incêndio provocado por um curto-circuito, no dia 2 de setembro de 2018.

— Era um dos meus museus preferidos. Passei horas lá na minha primeira visita. Tinha uma aura de mistério que fazia com que você quisesse descobrir o que não sabia — afirma Vik. — Lembro, por exemplo, de várias conversas que tive com meu filho sobre a múmia de um gato.