Vilão do 'BBB 1', Adriano teve treta com Boninho, tem banda punk e apagou posts depois de participar de ato golpista em Brasília

Depois de surgir no ato golpista em Brasília no último domingo, Adriano Castro, o Didi do "BBB 1" deletou todas as publicações que tinha em seu Instagram que demonstravam apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro, mas seu histórico de polêmicas não é de hoje.

O vilão do "BBB 1" brigou, inclusive, com Boninho antes mesmo de entrar no reality show. Em seu canal do YouTube, que saiu do ar temporariamente depois do ataque às sedes dos três poderes em Brasília, ele contou a história de como entrou no programa e detalhou a treta que teve com o diretor em uma das fases do processo seletivo.

Segundo Adriano, tudo começou quando ele foi procurado por uma produtora da Globo na Universidade Federal da Bahia, onde estudava Belas Artes.

De início, Didi afirmou que não tinha interesse em participar do programa por querer se consolidar no meio artístico, mas com algumas propostas da produtora acabou cedendo. Logo no início da entrevista com os diretores do programa, no entanto, Adriano teve um desentendimento com Boninho que, segundo o artista, foi o motivo pelo qual ele foi escolhido para aquela edição do reality.

"Entreguei um dossiê com meus trabalhos de artista plástico para todos os diretores, mas Boninho jogou a pasta no chão e perguntou o que eu tinha para oferecer para a Globo", relatou.

"Fiquei com tanto ódio de Boninho que olhei na cara dele e falei 'olha aqui seu filho da p***, a única coisa que eu tinha para oferecer para você é a minha personalidade, mas eu já vi que você não merece nem ser filho de quem você é'. Peguei o dossiê, dei as costas e fui embora", continuou.

Mas Adriano voltou depois que Boninho pediu desculpas e ele acredita que foi essa atitude de bater boca e ir embora que fez com que ele entrasse para o programa.

Didi foi o sexto eliminado entre 12 participantes com 74% de rejeição e seu principal oponente era Bambam, vencedor daquela edição do reality.

Além de Bambam, Adriano tinha André Gabeh como rival. Em 2021, os dois chegaram, inclusive, a fazer uma live juntos sobre o reality, mas, segundo André, eles não têm nenhum tipo de vínculo. "Não quero falar dele, não. Só sei que não é meu amigo e me deixa muito feliz saber que sempre estive do lado de pessoas diferentes dele"

Apesar de estar na capital federal no último fim de semana, Didi é baiano e mora em Salvador, onde tem uma banda de punk com o nome de "Via Sacra". Nas redes sociais do grupo que existe desde 1986, um post recente fala sobre política: "Pare de idolatrar políticos, você parece um idiota".

Adriano, no entanto, marcou presença em atos bolsonaristas e anti-democráticos e a família do ex-presidente e ex-ministros de seu governo estão na lista de pessoas seguidas pelo artista plástico e ex-BBB.

Depois de ter seu nome vinculado aos atos que participou, Didi deletou uma série de postagens. Agora, seu perfil na rede social conta com um nome de usuário genérico e postagens de obras assinadas pelo artista plástico.