Vinagre de maçã: Os surpreendentes benefícios para a saúde quando tomado em jejum

Luiza Belloni

Não é exatamente uma surpresa que o vinagre de maçã oferece diversos benefícios para a pele, é útil tanto para o tratamento de acne quanto para acabar com as caspas e proporcionar alívio em queimaduras solares.

Porém, ele também traz melhorias para a saúde do corpo, que vão desde o combate ao colesterol até ajudar a fortalecer o sistema imunológico, segundo o MedicalDaily.

Quando consumido em jejum, pode equilibrar o pH do estômago e ajuda na digestão. Também pode diminuir o inchaço e prevenir refluxo. Veja abaixo cinco benefícios do vinagre de maçã:  

1. Reduz os níveis de açúcar no sangue

Um estudo da Universidade Estadual do Arizona revelou que pessoas que bebiam duas colheres de sopa do vinagre, acompanhadas de um alimento, diminuíram os níveis de açúcar no sangue em comparação com aqueles que tomaram a mesma porção de água junto ao mesmo lanche.

2. Combate o colesterol

Um outro teste feito pelo médico Michael Mosley, apresentador do programa da BBC Trust Me, mostrou que voluntários que ingeriram vinagre de maçã apresentaram uma redução nas taxas do colesterol ruim. Índices de triglicerídeos também baixaram.

3. Fortalece o sistema imunológico

Um dos principais benefícios do vinagre, quando bebido com frequência, é o fortalecimento do sistema imunológico. O vinagre de maçã é ácido e ajuda a matar as bactérias invasoras antes que elas possam virar resfriado.

4. Dá mais energia

O vinagre de maçã não só melhora nosso sistema imunológico, como também impulsiona a energia. Isso porque a bebida tem propriedades alcalinizantes, que ajudam a manter a energia o dia inteiro. 

5. Desintoxica o corpo

Tomar uma dose de vinagre de maçã pela manhã ajuda a limpar o fígado e desintoxicar. Segundo o site, os ácidos presentes na bebida auxiliam um melhor funcionamento do fígado, que, por sua vez, produz mais enzimas e elimina toxinas.

Como consumir

Para usufruir dos principais benefícios do vinagre de maçã, use duas...

Continue a ler no HuffPost