Christie's leiloará colar "A Lenda" e joias de Elizabeth Taylor

Genebra, 4 mai (EFE).- A casa de leilões Christie's venderá no próximo dia 17 em Genebra "A Lenda", um colar de pérolas com um diamante talhado em forma de coração de 92 quilates avaliado entre US$ 14 milhões e US$ 20 milhões, e joias da falecida atriz Elizabeth Taylor, entre mais de 250 peças de todo o mundo.

O colar será o destaque do leilão de primavera de joias magníficas em Genebra, junto com importantes peças como a coleção de Cartier e Art Déco reunida por Eric Nussbaum, um dos especialistas mais ilustres da Cartier, e com joias de mestres italianos dos anos 1900 até a atualidade dentro da seção "Dolce Vita".

"A Lenda", um pingente de diamante de 92,15 quilates em formato de coração e sem impurezas, leva a assinatura da Boehmer et Bassenge, uma nova casa de alta joalheria de Paris que criada no ano passado em honra aos joalheiros reais do século XVII do rei Luis XV.

Esta casa produz poucas criações a cada ano, indica a Christie's em um comunicado, que aponta que o diamante é o "maior" já oferecido em um leilão.

A casa de leilão também oferecerá o par de brincos "La Vie Bohème" (A vida boêmia), também da Boehmer et Bassenge, cada um com um laço assimétrico com diamantes cor de rosa e uma pedra em forma de pera de entre 10,05 e 10,7 quilates.

Este conjunto, cujas joias são igualmente sem impurezas, será leiloado por entre US$ 2 milhões e US$ 3 milhões.

A casa de leilões já ofereceu em 2011 a coleção de joias de Elizabeth Taylor e em 17 de maio reaparecerão brincos com rubis e diamantes e um bracelete, ambos da Cartier, por entre US$ 300 mil e US$ 500 mil no primeiro caso e por entre US$ 400 mil e US$ 600 mil no segundo.

Trata-se de um presente que a atriz recebeu em agosto de 1957 de seu então marido, Mike Todd.

A Christie's também leiloará um anel com um rubi birmanês de 15,03 quilates em formato oval, avaliado entre US$ 10 milhões e US$ 15 milhões.

A casa de leilões venderá, além disso, safiras e diamantes de cor, bem como um colar de diamantes e platina da coleção "Doris Duke", falecida herdeira de um império do tabaco americano.

A peça foi comprada em um leilão em Nova York em abril de 1937 por US$ 65 mil, mas Doris Duke retirou todos os diamantes grandes no colar.

Um comprador passou anos substituindo as pedras que faltavam com diamantes apropriados, restaurando a "velha glória" do colar, que será vendido por entre US$ 3 milhões e US$ 5 milhões. EFE