Vingança pode ter motivado chacina contra ex-guarda civil e familiares na Grande SP

As quatro pessoas foram baleadas (Foto: Getty Images)
As quatro pessoas foram baleadas (Foto: Getty Images)

A Polícia Civil investiga se a chacina cometida contra o ex-guarda civil municipal e advogado Paulo Correa de Souza, 39 anos, que atuava em Carapicuíba, sua esposa, a mãe dele e seu padrasto, teria sido motivada por vingança.

O crime aconteceu no último sábado (3), em uma estrada de terra em Pirapora do Bom Jesus, na região Metropolitana de São Paulo. As vítimas foram baleadas. Ninguém havia sido preso.

Os corpos de Paulo, de sua esposa Ana Caroline Ferreira da Silva, de 31, da mãe dele, Marlene Aparecida Ferreira de Souza, 64, e do padrasto Israel Aparecido Vintorin, 45, foram encontrados fora do carro da família.

O caso foi registrado como homicídio na Delegacia de Polícia Central de Santana de Parnaíba. A delegacia de Pirapora do Bom Jesus também investiga.

A hipótese de que o crime pode ter sido cometido por vingança surgiu depois que a polícia teve informações de que ele já se desentendeu com algumas pessoas no passado.

Ao portal g1, um político que conhecia Paulo comentou que a chacina pode ter relação com desentendimento com alguém envolvendo seu trabalho como advogado.

Além disso, Paulo também era réu na Justiça por uma tentativa de homicídio contra três pessoas em abril de 2020. Na época, ele teria discutido com uma mulher por conta de bebidas e carnes em um churrasco.

Os assassinatos foram cometidos na Estrada Francisco Missé, em Pirapora do Bom Jesus.

Foram encontradas, pela perícia policial, cápsulas de pistola 9 mm pela rua e marcas no carro das vítimas. Também foram apreendidos os celulares dos quatro mortos e uma faca, que estava próxima de Marlene.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o Instituto de Criminalística (IC) e Instituto Médico Legal (IML), ambos da Polícia Técnico-Científica, farão exames complementares para ajudarem a Polícia Civil na investigação.

Após dez anos servindo como agente da Guarda-Civil Municipal (GCM) de Carapicuíba, Paulo pediu afastamento em janeiro de 2021 para exercer outra função, segundo a prefeitura da cidade.

Desde então, ele trabalhava como advogado no município, onde tinha um escritório com a esposa, também advogada. Os dois eram especialistas em direito trabalhista, da família e criminal.

"A GCM de Carapicuíba irá auxiliar as Polícias Militar e Civil nas investigações para que os criminosos sejam capturados o mais rápido possível", informa um trecho do comunicado da prefeitura da cidade em suas redes sociais.

Paulo e Marlene serão enterrados nesta segunda-feira (5) no Cemitério Municipal de Santana de Parnaíba. Israel deverá ser sepultado também nesta segunda, mas num cemitério de Barueri. Ana Caroline será enterrada na terça-feira (6) no Memorial Parque Paulista em Embu das Artes. Todas as cidades ficam na região metropolitana.