Vinhos raros furtados do Ministério das Relações Exteriores são recuperadas pela PF

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO —Duas garrafas de vinhos franceses raros, que juntas custam cerca de R$ 60 mil, que haviam sido furtadas de uma adega no Ministério das Relações Exteriores, em Brasília, foram recuperadas pela Polícia Federal ontem.

Segundo a PF, as garrafas foram encontradas após cumprimento de mandado de busca e apreensão, deflagrados na Operação Borgonha, que se refere à região da França produtora de vinhos, segundo a Globonews.

Entre os vinhos furtados, estavam um Petrus Pomerol Grand Cru da safra 1980, avaliado em R$ 25.750, e um Domaine de la Romanee-Conti La Tache Grand Cru Monopole da safra de 1995, avaliado em R$ 31.868. Eles haviam sido doados ao Ministério das Relações Exteriores e estavam guardados numa espécie de cofre/adega no prédio da instituição.

O furto, de acordo com a PF, foi constatado em agosto, depois que funcionários haviam feito uma conferência na adega. Após investigações, os policiais chegaram ao autor do crime, que não teve o nome revelado.

Segundo a PF, ele informou que havia vendido as garrafas e indicou o endereço do receptador, que também não foi identificado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos