Violência no quinto dia de protestos contra o governo grego

Violência no quinto dia de protestos contra o governo grego

Frente ao parlamento grego, em Atenas, milhares de manifestantes juntaram-se em protesto para exigir responsabilidades após o acidente ferroviário que matou 57 pessoas junto à cidade de Larissa.

O ajuntamento acabou por degenerar em violência. Foram lançados cocktails molotov e a polícia utilizou gás lacrimogéneo, alegadamente para impedir que alguns participantes entrassem nas instalações da empresa que gere a rede ferroviária grega.

O primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis veio pedir "perdão" a todos os gregos e reconhecer que faltam mecanismos de segurança.

Ao que tudo indica, o chefe da estação de Larissa já assumiu a responsabilidade na colisão frontal dos dois comboios.