Violência doméstica durante a quarentena: saiba como denunciar

Denúncias podem ser feitas pelo Ligue 180. Foto: Pixabay

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos divulgou, na última semana, que dados do Ligue 180 (canal que recebe denúncias de violência contra mulher) mostram que o número de ligações para o telefone aumentaram em quase 9% durante a quarentena que visa o combate ao coronavírus.

De acordo com a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, a média diária entre os dias 1 e 16 de março foi de 3.045 ligações recebidas e 829 denúncias registradas. Entre 17 e 25 de março, o canal teve 3.303 ligações recebidas e 978 denúncias registradas.

Diante do novo contexto, é preciso que vítimas saibam como fazer uma denúncia em caso de violência doméstica durante o confinamento. Também é necessário que vizinhos, amigos e familiares das vítimas estejam atentos aos sinais de que algo perigoso possa estar acontecendo com alguém próximo.

Leia também:

O Ligue 180 é um canal gratuito e completamente confidencial. Por isso, ao menor sinal de violência doméstica, é recomendado que seja feita uma ligação para o telefone ou para a Polícia Militar (190). O Disque 100 também pode ser usado para fazer denúncias que estejam relacionadas à violência sexual contra crianças e adolescentes.

Os canais funcionam 24 horas por dia e durante todos os dias da semana. Além disso, as denúncias podem ser feitas de qualquer lugar do Brasil. Além de registrarem os casos, os canais também acolhem as vítimas, analisam os casos e encaminham as denúncias aos órgãos de proteção que ajudam as vítimas.

De acordo com a pasta, foi feita uma ampliação do alcance dos serviços do Disque 100 e do Ligue 180 para o meio digital com o lançamento do aplicativo Direitos Humanos Brasil. Segundo o ministério, o aplicativo está disponível para os sistemas Android e IOS, tem um espaço para anexar vídeos e fotos com as denúncias e tem um passo a passo completo para que o denunciante faça o registro da ocorrência com segurança.