Vistas aéreas de lugares famosos desertos mostram impacto do coronavírus

1 / 3
Duas fotos Caaba, local mais sagrado do Islã, em Meca. A foto de cima é de 14 de fevereiro de 2020, a de baixo, de 3 de março de 2020

Esplanadas vazias, estações fantasmagóricas e lugares santos desertos. Uma série de imagens de satélite refletem o impacto da epidemia do coronavírus em alguns dos lugares mais frequentados do mundo.

Essas fotos aéreas, publicadas pela agência americana de imagem espacial Maxar, mostram cidades que costumam viver lotadas desertas.

Uma deles mostra um grupo de fiéis em volta da Kaaba, o lugar santo mais sagrado do Islã, em Meca, um local normalmente lotado de gente.

Autoridades sauditas suspenderam temporariamente a peregrinação da Umrah, uma medida sem precedentes para lutar contra a propagação do novo coronavírus, que já matou mais de 3.450 pessoas no mundo.

No Irã, uma imagem do alto do santuário de Fátima Ma'sumeh em Qom mostra um dos locais mais sagrados do país sem visitantes enquanto suas célebres cúpulas brilham ao sol.

Os pátios interiores e as ruas adjacentes também estão desertas.

Fotos aéreas de Wuhan, na China - epicentro da epidemia mundial de coronavírus - mostram dezenas de trens estacionados na estação deserta de Dongdamen.

Na cidade em quarentena, praticamente isolada do mundo desde 23 de janeiro, a estação parece um lugar abandonado.