Paciente vítima de cárcere privado em hospital pede transferência: “Não aguento mais”

Médico cirurgião plástico Bolívar Guerrero Silva supostamente mantinha paciente em cárcere privado (Foto: Reprodução/TV Globo)
Médico cirurgião plástico Bolívar Guerrero Silva supostamente mantinha paciente em cárcere privado (Foto: Reprodução/TV Globo)
  • Paciente estaria sendo mantida em cárcere privado em hospital de Duque de Caxias

  • Ela gravou vídeo desabafando sobre a situação e pedindo transferência

  • Médico teria trancado a mulher para encobrir erro médico em cirurgia

A paciente supostamente mantida em cárcere privado dentro de um hospital após complicações de uma cirurgia manifestou-se nesta quarta-feira (20) sobre o caso e pediu ajuda.

Em vídeo exibido pela TV Globo nesta manhã, Daiana Chaves Cavalcanti, de 36 anos, explicou que está desesperada para deixar o Hospital Santa Branca, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.

“Eu peço muita ajuda para vocês, que me ajudem a sair daqui, que é isso que eu preciso: ser transferida, sair daqui. Porque eu tenho um filho de 2 anos que precisa de mim. Eu não aguento mais esse sofrimento”, declarou.

O inquérito policial entregue à Justiça pela Delegacia de Atendimento à Mulher de Duque de Caxias (Deam-Caxias), e revelado pelo G1, informou que a vítima está “apodrecendo”. O documento aponta, ainda, que há indícios de que ela esteja com uma infecção generalizada e em estado grave.

No vídeo, Daiana acusa o cirurgião Bolívar Guerrero Silva, preso na última segunda-feira (18), de ter acabado com seus planos após o procedimento. A mulher afirma, ainda, que seu peito está “necrosado” por conta de um erro cometido pelo profissional.

“Quando ele fez o meu peito, que eu fiquei super feliz, porque eu juntei dinheiro para poder realizar o meu sonho. Infelizmente, necrosou tudo. Estou aqui muito triste, já chorei. Não aguento mais chorar”, desabafou.

Entenda o caso

Daiana afirma que está sendo mantida dentro do hospital contra a própria vontade. Bolívar teria obrigado a paciente a permanecer no local para encobrir um erro médico cometido em uma cirurgia à qual ela foi submetida.

Segundo o g1, uma amiga da vítima testemunhou sobre o caso e, no depoimento, relatou que o médico fez chantagem para dificultar a saída de Daiana no hospital. Ele teria ameaçado parar de usar a máquina que drenava a secreção que devia ser expelida do corpo da paciente.

Bolívar Guerrero Silva prestou depoimento e negou que Daiana estivesse sendo mantida em cárcere privado, assim como descartou qualquer erro médico. Segundo o médico, a paciente não queria ser transferida.

O homem foi preso e o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro abriu uma sindicância para apurar o ocorrido.

Após o caso ser revelado, outras pacientes procuraram a Delegacia de Atendimento à Mulher de Duque de Caxias para denunciar Bolívar Guerrero Silva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos