Viviane Araújo sofreu preconceito por engravidar através da doação de óvulos

Viviane Araújo, eterna Rainha da Sapucaí, foi entrevistada pelo “Só Se For Agora Podcast” e revelou ter sofrido preconceito e rejeição por ter engravidado através da doação de óvulos.

Ela e o marido, Guilherme Militão, esperam Joaquim, que deve chegar ainda em 2022. A artista de 47 anos disse que recorreu ao método por ter procrastinado muito a decisão de ter um filho, mas está feliz e quer abordar o assunto sempre que puder. “É importante que esse preconceito contra a doação fique quase nulo”.

O programa foi conduzido por Jorge Perlingeiro, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro. Na ocasião, Vivi falou também sobre Carnaval e carreira. Ela é rainha da bateria do Salgueiro, e deve desfilar com mais cautela esse ano.

Vivi mandou o recado: “e você tem o desejo, se você quer ser mãe, você pode adotar, é o sentimento de ser mãe. Não importa se é óvulo doado, se é seu, se é adoção”.