Vizinho é suspeito de matar quatro pessoas, incluindo uma grávida, após cachorros revirarem seu lixo

·2 minuto de leitura

Ciúmes, desentendimentos por causa de cachorros revirando o lixo e até a tentativa de atropelar uma criança de quatro anos são os componentes de uma tragédia que resultou na morte de quatro pessoas de uma mesma família em Saquarema, na Região dos Lagos. Larissa Costa foi assassinada a tiros junto com seu marido, Lohan Santos de Andrade, e os sogros, Jorge Carlos Fernandes de Andrade e Rosinea da Costa Santos, na última quinta-feira (27). Ela estava grávida, e o bebê não sobreviveu.

O vizinho do casal, Carlos Henrique Coelho, foi preso em flagrante por agentes da 124ª DP (Saquarema) no próprio dia do crime. Ele foi reconhecido na delegacia por um dos sobreviventes: dois menores de idade, incluindo a criança de quatro anos, escaparam da chacina ao se esconder no banheiro.

Segundo a investigação, Carlos Henrique teria assediado Larissa meses atrás. Mas os conflitos entre os vizinhos não pararam por aí: além de brigas depois de os cachorros das vítimas revirarem o lixo do suspeito, ele ainda teria tentado atropelar o filho de quatro anos de Lohan. De acordo com a apuração, Carlos Henrique foi agredido, e ameaçou de morte o pai do garoto.

A polícia vinha investigando o caso como homicídio qualificado, mas mudou a linha depois de prender, na sexta-feira, Pedro Vinicius Moura, apontado como cúmplice. Com ele, foram apreendidos os celulares das vítimas, indicando latrocínio. Além de admitir que o objetivo da dupla era roubar telefones e dinheiro da família, Pedro ainda indicou um matagal onde a arma teria sido escondida. As buscas, no entanto, não deram resultado.

Segundo o delegado André Salvador Bueno, responsável pelo caso, a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil foi acionada para uma nova diligência neste sábado (29). Os agentes vão retornar ao terreno para buscar a arma do crime com a ajuda de cães farejadores.

A Secretaria estadual de Vitimados está buscando contatos dos sobreviventes e das famílias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos