VMA 2022: apresentação de Anitta é eleita uma das melhores

Anitta recebendo o prêmio de Melhor Clipe Latino por
Anitta recebendo o prêmio de Melhor Clipe Latino por "Envolver" no VMA 2022 no Prudential Center em agosto de 2022 em Newark, Nova Jersey. (Foto: Theo Wargo/Getty Images for MTV/Paramount Global)

A apresentação de Anitta no VMA 2022, no último domingo (28), foi eleita uma das melhores desta edição da cerimônia. A brasileira superou os shows de Red Hot Chili Peppers, Panic! at the Disco e Lizzo na premiação e foi classificada como a terceira melhor performance da noite pela revista "Billboard".

Pela segunda vez no evento, a cantora se apresentou no palco principal com o hit “Envolver”. Ela fez a coreografia que viralizou pelo mundo através TikTok e incluiu trechos de “Movimento da Sanfoninha”, “Bola, Rebola” e “Vai, Malandra”.

A participação da carioca agradou a Billboard, que colocou a apresentação apenas de Nicki Minaj e do grupo BLACKPINK. "Vestida com uma roupa vermelha brilhante e colada, Anitta rondava o palco do VMA como uma gata de rua em busca de sua próxima refeição, esfregando-se em seus dançarinos antes de fazer uma coreografia absolutamente feroz e cumprir aquela promessa de sacudir a bunda", elogiou a publicação. Confira o ranking:

  1. Nicki Minaj – “Video Vanguard Medley”

  2. BLACKPINK – “PINK VENOM”

  3. Anitta – “Envolver”

  4. Måneskin – “Supermodel”

  5. Jack Harlow e Fergie, “First Class”/”Glamorous”

  6. Bad Bunny – “Titi Me Pregunto”

  7. Lizzo – “About Damn Time”/”2 Be Loved (Am I Ready)”

  8. Kane Brown – “Grand”

  9. Snoop Dogg e Eminem – “From the D to the LBC”

  10. Red Hot Chili Peppers – “Black Summer”/”Can’t Stop”

  11. Khalid e Marshmello – “Numb”

  12. Panic! at the Disco – “Don’t Let the Light Go Out”

  13. J Balvin e Ryan Castro – “Nivel De Perreo”

Além da performance, Anitta se tornou a primeira brasileira a ganhar um prêmio no VMA. A artista levou para casa o astronauta de prata na categoria de Melhor Clipe de Música Latina, por "Envolver".

"Hoje eu cantei aqui um ritmo que, por muitos anos no meu país, foi considerado crime. Eu nasci no gueto do Brasil e, para quem nasceu lá, a gente nunca pensou que isso foi possível. Então, muito obrigada", declarou em seu discurso de agradecimento.