'Você acorda e seu marido está com Isis Valverde?', brinca Arieta Corrêa, a Leila de ‘Amor de mãe’

Marcelle Carvalho
Betina e Magno se encantaram um pelo outro durante os cuidados da enfermeira com Brenda e Leila

Arieta Corrêa não esconde a ansiedade pelo despertar de Leila, em cena prevista para ir ao ar na próxima quinta-feira, em “Amor de mãe”. Até porque esse será também um novo despertar dela no universo das telenovelas, após ter adormecido por 23 anos, desde que fez sua única trama inteira: “O rei do gado”. Aos 18 anos, ela era Chiquita, empregada que amava o patrão, o Senador Caxias (Carlos Vereza).

— Eu estava explodindo desde março, quando fiquei sabendo que faria essa novela. Primeiro, para gravar esta cena, que já fiz há um tempo. Depois, por colocar todas as minhas fichas na história de Leila, que é forte e intensa — afirma a atriz, de 42 anos: — Me agarrei em Deus para ficar saudável, porque eu estava muito ansiosa para gravar, principalmente esse acordar dela. Tenho certeza de que as pessoas vão se emocionar. Fazia tempo que eu não ficava assim, mesmo com as peças de teatro em que atuo.

 

Fato é que a volta de Leila ao “mundo dos vivos” mexe profundamente com o casal Magno (Juliano Cazarré) e Betina (Isis Valverde), já que a mulher do frentista vai lutar para retomar o casamento. Bem-humorada, Arieta brinca que a personagem já chega em desvantagem na disputa.

— Sacanagem, você acorda e seu marido está com a Isis Valverde? É brincadeira! Estou até gravando umas cenas em que Leila já está mais produzida, porque não dá para competir ali, é maldade — diverte-se a atriz, ciente de que o triângulo amoroso vai dividir opiniões: — A única coisa que ela tinha de valor real era a família. Então, Leila vai fazer de tudo para reconquistar Magno, porque ela não abre mão deles. Isso pode fazer as pessoas acharem que ela é uma vilã. Mas basta se colocar no lugar dessa mulher. Ela ama o marido e ainda tem a questão da filha doente. A menina precisa de um transplante de medula de um doador 100% compatível, e Leila quer ter outro filho para tentar curar Brenda (Clara Galinari). Vai dar muito pano pra manga.

A atriz, inclusive, se surpreendeu bastante ao buscar mais detalhes sobre pessoas que viveram a mesma situação de sua personagem.

— Fui pesquisar gente que passou por isso, em menor tempo de coma. Algumas pessoas acordaram, e a família estava de outro jeito, o marido com outra... É real e muito triste. Nunca pensei sobre isso, mas tem muito paciente em coma, em casa, há anos. É uma responsabilidade retratar a vida e, às vezes, a destruição emocional quando a pessoa acorda. Afinal, ela só tem a memória do que viveu, não tem mais nada, já que tudo mudou.