Você tem se sentido bonito (a) na quarentena? Mulheres contam o que mudou

Quais hábitos mudaram na sua quarentena? (Foto: Arquivo Pessoal)

Por Elisa Soupin (@faleparaelisa)

"O que você faz quando ninguém te vê fazendo?" A quarentena tem trazido muitas possibilidades de respostas para a antiga canção da banda Capital Inicial — “Quatro vezes você". As mulheres, maiores alvos da indústria da beleza, bombardeadas com uma gama de produtos que vai do dedão do pé até a última ponta dupla do cabelo, vêm sofrendo uma ruptura nos padrões de cuidados estéticos durante o tempo de reclusão domiciliar. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

Veja o relato de algumas mulheres que estão mudando a forma como cuidam e lidam com a beleza (e o lado bom disso)

Sutiã, para que te quero?

Em casa, sutiã não faz parte do guarda-roupa de Amanda Britto (Foto: Arquivo Pessoal)

A blogueira Amanda Britto, do blog ‘Starving', deixou o uso do sutiã do lado de fora de sua casa durante a quarentena. Ela, que ama montação e produções cheias de glitter e glamour, também está dando um tempo na maquiagem: cara lavada é a vibe do isolamento.

Leia também

“Maquiagem eu só faço se vou fazer alguma foto para o blog ou produzir algum conteúdo, algo de trabalho, tirando essas situações, eu não usei nenhum dia em casa. E o sutiã também, acaba sendo uma coisa que eu uso só pra ir na rua, mas em casa, fico o dia inteiro sem”, diz ela.

Amanda acredita, no entanto, que por ter seios grandes e vestir 46, vai acabar voltando a usar sutiã cotidianamente quando a pandemia passar. “Ainda não consegui me desprender disso. Coloco sutiã quando vou buscar algo na portaria, por exemplo. Fico incomodada de pensar que podem estar olhando para o meu peito”, admite ela. 

Buço e sobrancelha por fazer -- e tudo bem 

Julia passou a se sentir bem com o visual com buço e sobrancelha por fazer  (Foto: Arquivo Pessoal)

A professora Julia Souza, de 29 anos, costumava ficar muito incomodada com os pelos no rosto e, como não conseguiu marcar para fazer o buço e a sobrancelha antes da quarentena, está convivendo com eles. 

“Queria fazer um teste de ver e tentar me acostumar com o meu rosto como ele é. Antes da quarentena começar, estava super incomodada, tentando marcar, mas não consegui e depois o isolamento começou. No começo, estava com meu namorado e ficava muito incomodada. Mas, de umas duas semanas pra cá, eu tenho me olhado e me achado bem bonita, o buço não está fazendo a menor diferença."

“Acabou sendo legal não ter podido fazer, porque no início me incomodou muito, mas agora me sinto feliz porque vi que é uma coisa que não preciso fazer pra me sentir bem. Talvez faça às vezes depois da quarentena, mas não é mais uma coisa que eu acho que preciso fazer”, conta. 

Depilação, o que é? "Google pesquisar"

Lorrayne pretende voltar a se depilar quando a vida estiver se normalizando (Foto: Arquivo Pessoal)

A analista de treinamento Lorrayne Misquey, que está há mais de um mês em quarentena domiciliar, está vivendo o triunfo dos pelos. Ela, que era bem regrada com a depilação, está espaçando muito mais. 

“Fazia com cera em um instituto de depilação. Até tenho tudo em casa e não faço por preguiça, só fiz para o meu aniversário, que foi durante a quarentena. Mas o que eu mais sinto falta de fazer e incomoda muito não fazer é dourar (descolorir) os pelos, mas não faz sentido eu fazer e ficar coçando só pra ficar em casa. Estou sozinha, então não faz o menor sentido passar dor, desconforto, depilar para ficar em casa”, diz ela.

 “Eu não vou para praia sem depilar as pernas, a virilha, me incomoda. Acho muito difícil sair, usar short e não me depilar. São muitos anos presa nisso [padrão de beleza]. Preciso elaborar mais. Antes, me preocupava muito mais que hoje. Estou mais ‘suave’, mas com toda certeza vou depilar e dourar meus pelos para a primeira praia. Mas entendo que é só como me vejo, porque nas outras pessoas acho lindo e poderoso não se importar com isso. Acredito que elaborando mais, com o tempo vou me desprendendo aos pouquinhos”, acredita ela. 

Menos enfeite e mais cuidado 

“Concluí que estou mais empenhada no tratamento e menos produção” (Foto: Arquivo Pessoal)

A fotógrafa Gaabriela Moura é daquelas mulheres bem vaidosas, que sempre capricha na make e no cabelo. Com a quarentena, no entanto, o cenário mudou bastante. “Maquiagem nunca mais usei e o babyliss, que eu fazia todo fim de semana e às vezes durante a semana também, não fiz durante a quarentena, porque nem estou trabalhando, nem estou tendo vida social", ri ela. 

Gaabriela percebeu, no entanto, que ela não deixou a vaidade de lado e está, ao contrário, se cuidando mais do que se adornando. “Estou sentindo que esse tempo em casa está me fazendo investir muito mais em cuidado do que em me enfeitar. Por exemplo, ao invés de me maquiar, faço limpeza, esfoliação, drenagem com rolinho no rosto. Ao invés de fazer babyliss, hidrato mais o cabelo. Ao invés de passar batom, passo um balm hidratante”, conta.