Volkswagen pede desculpas após propaganda com conotações racistas

Volkswagen pediu desculpas por anúncio com conotações racistas

A gigante do automobilismo alemão Volkswagen se desculpou após a divulgação de um anúncio publicitário de seu novo modelo de carro Golf, o que provocou uma onda de críticas dos internautas, que o consideraram racista.

O vídeo, de 10 segundos, que apareceu terça-feira na conta do Instagram da construtora, mostra um homem negro, de terno, agarrado por uma mão branca em primeiro plano, que o empurra levemente para o interior de um estabelecimento chamado "o pequeno colono". Tudo para afastá-lo de um Golf amarelo estacionado na entrada.

Retirado do Instagram, o vídeo ainda circulava no Twitter nesta quarta-feira (20).

"O vídeo é, sem dúvida nenhuma, um erro" e é "de mal gosto", reagiu a empresa de Wolfsburgo nesta quarta-feira em comunicado enviado à AFP.

O grupo entende as reações irritadas de muitas pessoas que viram o vídeo e acrescenta que irá "esclarecer o que pode ter acontecido" e "arcará com as consequências".

No final do vídeo aparece uma sequência de letras cuja ordem sugere a palavra "negro".

"A própria história de nossa empresa" faz com que a "Volkswagen se posicione contra todas as formas de racismo, xenofobia e discriminação", explicou o grupo, que também se desculpou no Instagram.

Volkswagen foi, na década de 1930, a fabricante de fetiche do regime nazista na Alemanha.

A marca ("carro do povo") foi criada em 1937 por Ferdinand Porsche, por iniciativa da Frente Alemã para o Trabalho, liderada por Adolf Hitler.