Volta às aulas no Rio: mais de 24 mil professores da rede municipal estão aptos para retorno, diz prefeitura

Pedro Zuazo
·2 minuto de leitura

Dos cerca de 39 mil professores da rede municipal de ensino do Rio, 24.094 (61,78%) estão aptos a voltar às salas de aula, segundo a Secretaria municipal de Educação. São professores que não estão enquadrados em nenhum grupo de risco para agravamento da Covid-19.

Todos os professores que se enquadram em grupos de risco vão permanecer trabalhando em casa. É o caso de cerca de três mil professores que têm mais de 60 anos de idade. A quantidade de professores que apresentam comorbidades não foi informada.

Os professores que permanecerem em casa vão alimentar o aplicativo Rio Educa Em Casa, aplicativo pelo qual os alunos terão aulas remotas, e vão colaborar com outras atividades que a pasta precisa realizar remotamente.

Embora a pasta informe que mais de 60% dos professores estão aptos para a volta, ao Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) mantém o posicionamento contrário ao retorno antes que os profissionais da educação sejam vacinados. O secretário de Educação, Renan Ferreirinha, garantiu ter conversado com todos os diferentes atores da educação, incluindo diretores de escolas, professores, sindicatos e outras representações da categoria e assegurou estar aberto ao diálogo e disponível para todos os esclarecimentos que se fizerem necessários.

Reabertura de 38 escolas

Na próxima quarta-feira, 38 escolas municipais do Rio vão reabrir para o retorno das aulas presenciais. O número representa apenas 2,5% do total de 1.543 unidades, e a volta às salas de aula vale apenas para alunos do 1º e 2º anos do ensino fundamental, além da pré-escola, num total estimado em 7.730 estudantes.

O secretário defendeu que a escola deve ser a última a ser prejudicada e a primeira a ser beneficiada na retomada de atividades, mas reforçou que a secretaria está seguindo um protocolo rigoroso. As salas funcionarão em média com um terço de sua capacidade.

As unidades que estão sendo reabertas atendem, segundo Ferreirinha, a um protocolo que leva em conta a estrutura geral da unidade, distanciamento mínimo de 1,5 m entre carteiras, disponibilidade de álcool gel e de máscara para estudantes e profissionais e adequação de refeitórios, entre outras medidas.

A partir da semana que vem, toda quinta-feira será feito o anúncio das unidades que serão reabertas na quarta-feira da semana seguinte.

Segundo ele, dos 4.401 pais e responsáveis que responderam a um questionário, 82% informaram desejar a volta do ensino presencial e os outros 18% preferiram o remoto. Caso o interesse pelo retorno continue crescente, a SME poderá adotar um sistema semanal de rodízio de turmas em que o aluno vai para a escola numa semana e na outra fica no sistema remoto.