De volta para casa: voluntários de Niterói ajudam moradores de rua a encontrarem suas famílias

O Globo
·2 minuto de leitura
Divulgação/Panetones do Bem

NITERÓI — Querendo contribuir para que haja mais histórias com final feliz, um grupo de voluntários resolveu ir às ruas de Niterói ajudar a quem sobrevive nelas sem rumo e recursos. Através da mão estendida, dois homens conseguiram ser reaproximados de suas famílias, em Minas Gerais e no Espírito Santo. Nascida em dezembro, a iniciativa foi batizada de Panetones do Bem. Mais de cem famílias participam da ação, que seguirá em 2021.

Leia mais:Adolescente que aos 14 anos fez campanha para ajudar refugiados venezuelanos concorre a prêmio

Os voluntários contam que, enquanto distribuíam lanches pelas ruas — incluindo panetones —, começaram a fazer o cadastro de quem aceitava ajuda para tirar documentos, tratar dependência química, conseguir trabalho ou voltar para casa.

Em poucos dias, depararam com o capixaba Elcimar Gabrielli, de 50 anos, pai de três filhos, que há dez saiu de Aracruz para ver um jogo de futebol e não voltou. Atualmente, estava vivendo nas ruas do Centro, enfrentando problemas com o álcool.

Após uma longa conversa, os voluntários conseguiram informações e, através das redes sociais, encontraram as irmãs e os filhos de Elcimar. No dia 20 passado, domingo, após receber tratamento vip, com direito a corte de cabelo, roupas novas e lanche no shopping, ele embarcou para o Espírito Santo, com o apoio do grupo, para rever os parentes.

— Para a gente é motivo de muita felicidade ter reencontrado o Elcimar vivo. Algumas pessoas da família já tinham perdido a esperança. Eu nunca perdi: tinha fé que um dia a gente ia reencontrá-lo e, graças a Deus, foi muito bem recebido aqui — relatou uma de suas irmãs, Eucimara Gabrielli. — Ele ficou feliz e muito emocionado com o reencontro com os filhos. O caçula não tinha nem lembrança dele. Está todo mundo muito feliz e tentando que ele fique aqui com a gente e não volte mais para as ruas.

Outro presente de Natal foi dado para a família de Delion, de 26 anos, que está voltando para a cidade de Pará de Minas. A ideia do Panetones do Bem é seguir em contato com as famílias, para acompanhar o futuro de Elcimar e Delion, e ajudar mais pessoas em Niterói.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)