Voluntário da CoronaVac cometeu suicídio, diz boletim de ocorrência

Ana Letícia Leão e Silvia Amorim
·1 minuto de leitura
Antonio Molina / Agência O Globo
Antonio Molina / Agência O Globo

SÃO PAULO - A morte de um profissional de saúde voluntário dos testes da vacina chinesa contra a Covid-19, CoronaVac, em São Paulo deu-se em decorrência de um suicídio. A informação consta em boletim de ocorrência registrado na capital paulista. O documento foi divulgado em primeira mão pela Globonews e confirmado pelo Globo nesta terça-feira.

O óbito levou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a suspender nesta segunda-feira à noite os testes clínicos da vacina em todo o país. A morte foi comunicada ao órgão na sexta-feira passada pelo Instituto Butantan, que comanda os testes no Brasil em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

O Butantan tomou conhecimento do episódio envolvendo o voluntário durante a checagem de rotina do estado de saúde de seus voluntários. Segundo o BO, o rapaz, de 33 anos, foi encontrado morto no banheiro.

Nesta manhã, o diretor do Butantan, Dimas Covas, disse que o óbito do voluntário não tinha qualquer relação com a vacina que está sendo testada. O episódio foi reportado à Anvisa como um evento adverso grave no curso da pesquisa.