Von der Leyen apela à solidariedade dos países do norte

Na COP27 em Sharm El Sheikh, no Egito, a presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen intimou os países do norte a seguirem o exemplo da União Europeia na ajuda financeira aos países do sul, em termos de luta contra as mudanças climáticas. Von der Leyen diz que a Europa está a acelerar as ajudas, no sentido de fazer a sua parte no compromisso de dar 100 mil milhões de dólares em ajuda.

"Os países do sul tem recursos em abundância. Vamos trabalhar em conjunto. Por isso, a União Europeia está a assinar parcerias para o hidrogénio com o Egito, a Namíbia e o Cazaquistão. Estamos a ajudar parceiros como o Vietname e a África do Sul a descarbonizar as economias. Precisamos de atingir os objetivos dos acordos de Paris e a Europa mantém esse esforço. Vamos reduzir as emissões de gases com efeito de estufa pelo menos em 55% até 2030", disse Von der Leyen.

Os países do sul tem recursos em abundância. Vamos trabalhar em conjunto.

Segundo os ativistas e peritos presentes na COP27, a conferência pode passar ao lado de um tema fulcral, que é o dos danos causados no tecido social dos países sempre que acontecem catástrofes climáticas ou desastres naturais causados pelas alterações climáticas.

"Os países em desenvolvimento e comunidades na linha da frente têm apelado ao mundo das finanças para que olhe para o problema das perdas e danos há mais de 30 anos, antes ainda do acordo de Paris ter sido negociado. Esse momento chegou, finalmente, na COP27, por isso os participantes têm duas opções: a primeira é ajudar as comunidades na linha da frente a fazer face às perdas e aos danos. A outra é voltar a adiar a ação", disse Rachel Simon, da ONG Climate Action Network Europe.

Na Europa, as temperaturas neste mês de outubro foram as mais altas alguma vez registadas, segundo o serviço climático do Copernicus. As temperaturas médias estiveram dois graus acima da média registada entre 1991 e 2020.