Voo de imigrantes do Reino Unido para Ruanda é suspenso após liminar

Voo de imigrantes do Reino Unido para Ruanda é suspenso após liminar

Por Andrew MacAskill e Michael Holden

LONDRES/BOSCOMBE DOWN, Inglaterra (Reuters) - O primeiro voo do Reino Unido para levar requerentes de asilo para Ruanda não decolou como programado nesta terça-feira, depois que o tribunal europeu de direitos humanos emitiu liminares para impedir a deportação de alguns imigrantes a bordo.

O plano do governo britânico de enviar alguns imigrantes para o país da África Oriental foi criticado por opositores, instituições de caridade e líderes religiosos que dizem que é desumano, e enfrentou uma série de contestações legais nos tribunais de Londres para impedir que isso acontecesse.

Nos últimos dias, pelo menos 30 indivíduos que estavam programados para sair no primeiro voo argumentaram que não deveriam ser deportados para Ruanda por motivos de saúde ou direitos humanos e obtiveram sucesso.

Apenas alguns imigrantes voariam de uma base da força aérea no sudoeste da Inglaterra nesta terça-feira, mas pouco antes da partida do avião, o Tribunal Europeu de Direitos Humanos (ECHR) concedeu liminares para impedir suas deportações.

"Sempre disse que essa política não será fácil de cumprir e estou desapontada que a contestação legal e as reivindicações de última hora tenham impedido que o voo de hoje decolasse", afirmou a ministra do Interior, Priti Patel.

"É muito surpreendente a intervenção do Tribunal Europeu de Direitos Humanos apesar de repetidos sucessos anteriores em nossos tribunais domésticos."

Ela disse que o governo não seria dissuadido e se prepararia para o próximo voo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos