Votação da PEC dos Precatórios com Auxílio Brasil permamente fica para semana que vem

·1 min de leitura

BRASÍLIA — O relator da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Precatórios, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), fez a leitura do parecer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), nesta quarta-feira. Houve pedido de vista e a expectativa é que o texto seja votado pelos membros do colegiado na próxima terça-feira e em seguida, submetido ao plenário do Senado.

O governo tem pressa porque depende da aprovação da PEC para pagar o Auxílio Brasil de R$ 400, a partir de dezembro.

Bezerra fez modificações no texto aprovado pela Câmara dos Deputados, mas manteve o núcleo da proposta, que adia o pagamento de precatórios, decisões judiciais contra a União.

Entre as principais mudanças, o relator torna definitivo o Auxílio Brasil de R$ 400 e para isso, flexibiliza as regras fiscais ao dispensar a indicação de uma fonte de compensação.

Comissão mista

Outras alterações estão a criação de uma comissão mista de parlamentares para monitorar a evolução dos precatórios e o reforço do entendimento da Câmara deque os precatórios da educação terão prioridade no pagamento, com destinação de 60% dos recursos para salários de professores, na forma de bônus.

Além de alterar a sistemática de pagamento de precatórios, a PEC muda o cálculo do teto de gastos, que limita o crescimento das despesas à inflação, ampliando os gastos em ano eleitoral. Segundo estimativas da equipe econômica, a proposta abrirá espaço fiscal total no Orçamento de R$ 106 bilhões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos