Votação no Arizona não foi manipulada, garante autoridade eleitoral dos EUA

A votação no Arizona, um foco de tensões nas eleições de meio de mandato dos Estados Unidos devido a alegações de fraude infundadas e alguns contratempos técnicos, ocorreu de forma confiável, disseram autoridades nesta quarta-feira (9).

As denúncias de fraude eleitoral se multiplicaram nas redes sociais e foram amplificadas por extremistas e pelo ex-presidente republicano Donald Trump (2017-2021) depois que o condado de Maricopa, o mais populoso do Arizona, informou que um quarto das 223 máquinas ativas apresentava problemas técnicos.

"Não há base para dizer que [a votação] foi fraudada ou que houve atos criminosos", disse Bill Gates, diretor do Conselho de Supervisores do Condado de Maricopa, que em 2020 se tornou um reduto do Partido Democrata do presidente Joe Biden.

Na terça-feira, os americanos foram às urnas para eleger governadores, senadores e deputados, entre outros cargos regionais.

Nas semanas que antecederam as eleições, as tensões aumentaram no Arizona, onde em 2020 Biden derrotou Trump por cerca de 10.000 votos.

Nos últimos dois anos, o ex-presidente e seus apoiadores usaram essa margem estreita para atacar o sistema eleitoral.

Apesar de várias auditorias que confirmaram a confiabilidade do resultado, três dos principais candidatos republicanos nas eleições de meio de mandato, incluindo Kari Lake, que concorre ao governo do Arizona, insistem em ignorar a vitória do democrata e questionar o processo.

Com quase 70% dos votos apurados, as primeiras projeções desta quarta-feira colocaram Lake no encalço da democrata Katie Hobbs.

Na terça-feira, as autoridades eleitorais de Maricopa anunciaram que a falha técnica em um quarto das máquinas foi solucionada e que o problema não comprometeu o resultado.

Gates se desculpou novamente pelo incidente que causou algumas filas e explicou que 17 mil cédulas foram afetadas, mas garantiu que cada voto será contado.

"Pessoas que foram às urnas ontem com um documento de identidade válido e votaram, esse voto foi contado ou será contado", afirmou em entrevista à CNN.

O sistema eleitoral americano permite o voto pelo correio ou nas urnas até um dia antes da eleição, ou o voto presencial durante o ato.

As autoridades informaram que até a manhã desta quarta-feira haviam totalizado quase 1,2 milhão de votos em Maricopa, com cerca de 400.000 ainda a serem contados, o que deve ocorrer até sexta-feira.

"Entendemos que o povo do Arizona está muito ansioso para saber os resultados, mas novamente, de acordo com a lei estadual, vai demorar um pouco. Hoje, novamente, o que pedimos a vocês é paciência", concluiu Gates.

rfo-pr/db/llu/am