Votação de PEC que enfraquece MP divide esquerda na Câmara

·2 min de leitura

RIO — A votação que rejeitou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que aumenta o peso do Congresso na escolha de integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) dividiu parlamentares de partidos tradicionais da esquerda. Dos 126 deputados do PT, PSB, PDT, Psol, PCdoB e Rede, 74 votaram a favor da pauta defendida pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, que poderia fragilizar o Ministério Público.

Caso fosse aprovado, o projeto aumentaria a influência no Parlamento no órgão responsável por disciplinar a atividade de procuradores e promotores — o que, por consequência, reduziria a autonomia do Ministério Público e blindaria políticos. A pauta tinha o apoio de bolsonaristas, petistas e políticos do Centrão. No entanto, a PEC foi rejeitada por 297 votos a favor e 182 contrários. Para a aprovação de uma alteração na Constituição são necessários 308 votos.

Entre os deputados de siglas de esquerda, 46 votaram contra a proposta, três se abstiveram e três estavam ausentes na votação. Enquanto houve uma racha dentro do PDT e do PSB, as bancadas do PT e do PCdoB votaram em peso a favor da PEC do CNMP.

Dos 25 deputados pedetistas, 16 votaram contra a PEC enquanto 7 votaram a favor. No PSB, os votos contrários somaram 21, e os favoráveis, 10. Já dos 53 deputados petistas, 51 deram votos favoráveis. No PCdoB, cuja bancada é formada por oito cadeiras, seis votaram a favor da proposta. Ninguém desses dois partidos foi contra o projeto, mas houve abstenções: uma no PT e duas no PCdoB.

Apenas dois partidos de esquerda foram completamente contrários a PEC: O Psol, com oito deputados, e a Rede, com um. Os líderes da oposição na Casa, Alessandro Molon, e da Minoria, Marcelo Freixo, ambos filiados ao PSB, foram contra o aumento da influência do Congresso no MP.

Não é a primeira vez que um racha na esquerda fica em evidência após uma votação na Câmara. O mesmo aconteceu na PEC do Voto Impresso, quando 17 deputados desobedecerem a orientação da bancada e votaram a favor do projeto que era obsessão do Jair Bolsonaro (sem partido).

Veja como votaram as bancadas da esquerda:

Joenia Wapichana (RR) - Contra

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos