“Voto impresso é para voltar para a época dos dinossauros”, diz Lula

·2 minuto de leitura
SAO BERNARDO DO CAMPO, BRAZIL - MARCH 10: Luiz Inacio Lula da Silva, Brazil's former president, speaks during a press conference after convictions against him were annulled at the Sindicato dos Metalurgicos do ABC on March 10, 2021 in Sao Bernardo do Campo, Brazil. Minister Edson Fachin, of the Federal Supreme Court, annulled on Monday the criminal convictions against former President Luiz Inacio Lula da Silva on the grounds that the city of Curitiba court did not have the authority to try him in court for corruption charges and he must be retried in federal courts in the capital, Brasilia. The decision means Lula regains his political rights and would be eligible to run for office in 2022. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)
Em oposição a Bolsonaro, Lula se colocou contra a volta do voto impresso no Brasil (Foto: Alexandre Schneider/Getty Images)
  • Ex-presidente Lula se posicionou contra a volta do voto impresso no Brasil

  • Segundo o petista, caso houvesse fraude do sistema, um metalúrgico como ele não teria sido eleito

  • O presidente Jair Bolsonaro tem insistido na pauta do voto impresso e chegou a ameaçar o presidente do TSE, Luis Roberto Barroso, caso não haja uma mudança no sistema eleitoral

O ex-presidente Lula (PT) criticou a ideia de mudar o modelo de votação no Brasil e a volta para o voto impresso. Segundo o ex-presidente, seria como “voltar para a época dos dinossauros”.

“Voto impresso é voltar pra época dos dinossauros. Se fosse possível roubar na urna eletrônica, jamais um metalúrgico teria sido eleito presidente da República. Eleição roubada foi a do Bolsonaro, que foi eleito com fake news, sem participar de um único debate”, declarou Lula em entrevista à rádio Salvador FM.

Leia também:

Ainda na entrevista, o petista afirmou que não pretende atacar adversários, mas juntar “todo mundo para provar que Bolsonaro é um desserviço” para o Brasil. “Não vou ficar batendo boca, minha conversa é com o povo brasileiro”, disse.

“Temos que trabalhar para lembrar o povo sobre como era a vida nos nossos governos e como tá hoje. Mostrar o que nós fizemos e sabendo que é possível fazer mais. E não aceitar jogo rasteiro, nem provocação”, afirmou à rádio Salvador FM.

Bolsonaro e o voto impresso

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem insistido na ideia da volta do voto impresso, sob o argumento de que a urna eletrônica dá margem para fraudes. Bolsonaro, no entanto, nunca apresentou provas de problemas nas urnas eletrônicas.

Na última sexta-feira (2), o presidente afirmou que planeja realizar uma transmissão via redes sociais com hackers para testar a segurança das urnas eletrônicas no Brasil.

Na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília, o presidente disse a apoiadores que já está em contato com "pessoas que entendem do assunto".

Além disso, na segunda-feira (5), Bolsonaro fez ameaças ao presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luis Roberto Barroso, caso não haja voto impresso no Brasil em 2022.

“Não sei o que tem na cabeça dele, ou se ele é refém de alguém para estar nessa campanha, interferindo dentro do parlamento, se reunindo com lideranças e falando seus argumentos contra o voto auditável”, disse.

O presidente afirmou que, se a Proposta de Emenda à Constituição que institui o voto impresso não for aprovada na Câmara, Barroso terá de “inventar uma forma de tornar transparentes as apurações. Senão ele vai ter problemas”.

“Não é a minha vida, mas se trata de algo muito importante, que é a nossa liberdade”, acrescentou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos