'Voto impresso é tentativa do governo de criar instabilidade', diz senadora Eliziane Gama

·2 minuto de leitura

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) criticou uma possível ameaça do ministro da Defesa, general Braga Netto, ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de condicionar as eleições de 2022 ao voto impresso. "Essa questão do voto impresso é uma tentativa do governo de criar uma instabilidade no Brasil", disse a parlamentar, em entrevista exclusiva ao Yahoo!.

Veja íntegra da entrevista amanhã

"Não paira sobre o sistema eletrônico eleitoral qualquer dúvida que possa colocar em xeque o processo eleitoral, que já é auditável", acrescentou.

Leia também:

"A tentativa de criar um clima de instabilidade no Brasil não prospera, no meu entendimento. Da mesma forma que não prospera, seja nas Forças Armadas ou na própria Presidência, condicionar o processo eleitoral ao voto impresso", disse.

Integrante ‘extraoficial’ da CPI da Covid no Senado, Eliziane Gama está responsável, no recesso das sessões, por analisar contratos da empresa de logística VTCLog com o governo federal. A CPI apura suspeita de esquema de propina e lavagem de dinheiro. Há indícios também de ligação entre a VTCLog e a Precisa Medicamentos, representante no Brasil na farmacêutica indiana Bharat Biotech, que produz a vacina Covaxin.

A CPI e o Ministério Público Federal (MPF) apuram indícios de crime na compra feita pelo Ministério da Saúde de 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin. O contrato de compra da Covaxin foi o único fechado pelo governo federal que contou com um intermediário.

“Nós tivemos quatro transferências bancárias entre essas duas empresas. Estamos aprofundando essas investigações e estudando os documentos junto ao Tribunal de Contas da União”, afirmou.

De acordo com a senadora, os próximos passos incluem os pedidos de quebras de sigilos da VTCLog. 

“O que nós temos hoje é uma quebra apenas da Precisa e, por conta dessa quebra, conseguimos pegar algumas informações. Mas a quebra da VTCLog será fundamental para entender toda essa movimentação. Só para ter uma ideia, o volume de movimentação da VTCLog, desde o início de sua movimentação com o governo federal, passa de R$ 1 bilhão”.

"Para a VTCLog, há uma ligação direta a Roberto Ferreira Dias", apontou Eliziane. 

O ex-diretor de logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias foi acusado de pedir propina de um dólar por dose em troca do contrato assinado para a compra de doses da vacina AstraZeneca com a empresa Davati Medical Supply.

Segundo a parlamentar, além de servidores públicos, é possível também ter a participação de agentes políticos no esquema.

Na entrevista ao Yahoo!, Eliziane ainda comentou sobre a participação da bancada feminina na comissão.

“Foi uma luta”, resumiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos