Voto impresso: Ex-ministros, empresários e lideranças religiosas se manifestam contra Bolsonaro

·2 minuto de leitura
Render of a voting machine for president elections in Brazil, FIM written on display is shown after casting the votes.
Nesta quinta, Câmara deve votar PEC do voto impresso (Foto: Getty Images)
  • Manifesto feito pela sociedade civil se posiciona contra o voto impresso

  • Carta é assinada por ex-ministros, economistas, líderes religiosos e empresários

  • Segundo signatários, "Justiça Eleitoral brasileira é uma das mais modernas e respeitadas do mundo"

Ex-ministros, empresários, lideranças religiosas e outros membros da sociedade civil se juntaram para fazer um manifesto contra a volta do voto impresso e em apoio ao atual sistema eleitoral. A carta foi divulgada na última quarta-feira (04).

“Apesar do momento difícil, acreditamos no Brasil. Nossos mais de 200 milhões de habitantes têm sonhos, aspirações e capacidades para transformar nossa sociedade e construir um futuro mais próspero e justo”, diz a carta, chamada de “Eleições serão respeitadas".

Leia também

“Esse futuro só será possível com base na estabilidade democrática. O princípio chave de uma democracia saudável é a realização de eleições e a aceitação de seus resultados por todos os envolvidos. A Justiça Eleitoral brasileira é uma das mais modernas e respeitadas do mundo. Confiamos nela e no atual sistema de votação eletrônico. A sociedade brasileira é garantidora da Constituição e não aceitará aventuras autoritárias.”

A carta foi divulgada no mesmo dia em que o Supremo Tribunal Federal incluiu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no inquérito das fake news. Há a expectativa de que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), deve colocar o tema do voto impresso em pauta nesta quinta-feira (05).

Os signatários ainda ressaltam a situação difícil que o Brasil enfrenta, com a pandemia e um número alto de pessoas desempregadas.

Quando o manifesto foi divulgado, já era mais de 260 signatários, entre os quais estavam empresários como:

  • Luiza Trajano, da Magazine Luiza

  • Roberto Setúbal, do Itaú

  • Guilherme Leal, da Natura

  • Oskar Metsavaht, da Osklen

  • Pedro Parente, da BRF e ex-presidente da Petrobras

Na lista de signatários figuram ainda lideranças religiosas, como o cardeal Dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, o rabino Michel Schlesinger, da Congregação Israelita Paulista, e a Monja Cohen.

Também são signatários diversos ex-ministros do Brasil e ex-presidentes do Banco Central:

  • Gustavo Loyola

  • Ilan Goldfajn

  • Pedro Malan

  • Armínio Fraga

  • Renato Janine Ribeiro

  • Celso Lafer

Outros nomes conhecidos que assinam a carta são os médicos Drauzio Varella e Margareth Dalcomo, além do documentarista João Moreira Salles e de Candido Mendes de Almeida, integrante da Academia Brasileira de Letras.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos