Votos nulos em 2018 podem decretar vitória de Lula em 2022

Nas eleições de 2018, o Brasil registrou o maior índice de votos nulos desde 1989: o índice no segundo turno de anulação foi de 7,4%, equivalente a 8,6 milhões de pessoas. Os votos brancos foram 2,1%, cerca de 2,4 milhões. Em 2018, os mesmos eleitores podem decretar a vitória de Lula (PT).

De acordo com a nova pesquisa Genial/Quaest, divulgada nesta quarta-feira (21), 42% dos eleitores que votaram branco ou nulo em 2018 pretendem votar em Lula em 2022. O índice para Jair Bolsonaro (PL) é de 11%. Ao mesmo tempo, 25% devem manter o branco ou nulo, enquanto 22% declararam votos em outros.

O petista também leva vantagem entre os eleitores que, em 2018, não foram votar ou ainda não tinham título de eleitor. Entre estes, 49% declararam voto em Lula e 27% em Jair Bolsonaro; 11% devem anular o voto e 13% vão votar em outros candidatos.

Entre os que votaram em Fernando Haddad (PT) no segundo turno de 2018, 84% vão manter o voto no PT; 4% migraram para Bolsonaro e 8% votarão em outro candidato.

Já entre os que votaram em Jair Bolsonaro, 70% manterão o voto e 10% vão escolher Lula; 12% vão votar em outro candidato e 7% pretendem anular.

A pesquisa ouviu 2 mil eleitores entre os dias 17 e 20 de setembro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O registro no TSE é o BR-04459/2022.