'Vou recriar todos os ministérios', diz Lula

O ex-presidente e pré-candidato, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou que recriará todos os ministérios que teve no passado em um eventual novo mandato. A declaração foi realizada durante entrevista ao UOL nesta quarta-feira.

Eleições: PT quer ampliar apoios para Lula no Centro-Oeste e mira palanques fora da esquerda

Veja também: Dirceu diz que mensalão 'não existiu' e defende resposta de Dilma a Temer

Lula também defendeu a criação de um Ministério das Causas Indígenas, que, segundo ele, será comandado por um indígena. O petista afirmou que pretende recriar também o Ministério do Planejamento, fundido à pasta da Economia sob a gestão Bolsonaro.

— Os ministérios que eu tinha vou recriá-los: Ministério da Igualdade Racial, Direitos Humanos, Pesca. Vou criar o Ministério das Causas Indígenas, e terá que ter um índio no ministério. Não precisa ser um branco de terno e gravata — declarou Lula.

O petista sinalizou que deve nomear um ministro político no Ministério da Fazenda, diferente do perfil do atual ministro, Paulo Guedes. Com isso, deve repetir o que houve em seu primeiro governo, quando Antônio Palocci assumiu a pasta.

— O que eu não quero é fazer um governo só de técnicos. Porque se técnico resolvesse o problema, eu iria na USP, pegaria todos os técnicos e colocaria no governo. Quem tem que dirigir é a política — declarou.

O ex-presidente voltou à carga contra a atual política de preços da Petrobras — hoje baseada na política de paridade internacional (PPI) — e prometeu reverter as alterações feitas durante o governo de Michel Temer (MDB).

— Eu pretendo fazer com que o preço da Petrobras seja em função dos preços nacionais. Essa história de PPI é para agradar os acionistas em detrimento de 200 milhões de brasileiros.

Lula saiu contra a privatização dos bancos estatais, dizendo que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil "salvaram a economia brasileira".

O ex-presidente é favorito na corrida presidencial das eleições de 2022. A última pesquisa eleitoral do Datafolha, divulgada no final de junho, mostrou o petista com 47% das intenções de voto, contra 28% do presidente Jair Bolsonaro (PL).

O PT oficializou na semana passada a chapa formada por Lula e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB) para o pleito de outubro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos