VP é bom técnico, mas se perdeu entre milionários e miúdos no Corinthians

Vitor Pereira, no jogo contra o Flamengo, no Maracanã. Foto: Jorge Rodrigues/AGIF (Jorge Rodrigues/AGIF)

O time do Corinthians perdeu outra vez para o Flamengo e foi eliminado da Libertadores da América. Nos dois confrontos das quartas-de-final, o Fla fez 3 a 0, sem muitos obstáculos. No duelo dos treinadores, Dorival Jr. superou Vitor Pereira de longe, pelas escolhas nas escalações, ainda que o elenco rubro-negro seja maior e melhor.

A classificação flamenguista também aumentou a vantagem sobre o Corinthians no retrospecto, com dez vitórias, um empate e uma derrota nos últimos 12 jogos, escancarando a diferença carioca.

Leia também:

Vitor Pereira é bom técnico, mas se perdeu no rodízio interminável dos jogadores, sem uma escalação afirmada e sem o melhor aproveitamento dos seus principais nomes. O blog teve dificuldades em entender a formação inicial corintiana, no Maracanã. Ainda que estivesse com pouco ritmo, Renato Augusto deveria ter começado a partida, assim como Giuliano e Róger Guedes. O time poderia perder intensidade, mas ganharia em posse de bola e eficiência ofensiva. Do jeito que foi, pareceu que VP tinha jogado a toalha, pensando no Palmeiras e Atlético-GO.

VP tem méritos ao apostar na molecada, fazendo com que Raul Gustavo, Du Queirós e Gustavo Mantuan se tornassem importantes com o decorrer dos jogos, além de lançar Robert e Geovane. No entanto, sempre fez questão de minimizar a importância dos seus atletas experientes, algo inexplicável para um time que precisa de qualidade, agregada ao esforço coletivo.

Há quem diga que os "milionários" estão chateados com VP, a ponto de Willian encaminhar seu retorno para a Inglaterra. Talvez o motivo seja mesmo a falta de diálogo num vestiário vencedor no clube, ainda que alguns tenham se machucado.

Agora, independentemente das situações, é difícil prescindir de quem joga mais contra seus melhores adversários. Não sabemos se daria certo um time com todos os milionários juntos, mas certamente haveria mais possibilidade de vitórias. Vamos ver se isso continuará nas duas próximas partidas decisivas.

Com tais critérios, se VP fosse brasileiro, já teria sido demitido pela diretoria.