Vulcão de Pacaya causa transtornos em comunidade na Guatemala

·1 minuto de leitura
Localização do vulcão Pacaya na Guatemala, que está em forte atividade.

Um extenso fluxo de lava do vulcão Pacaya, no sul da Guatemala, ameaça atingir uma comunidade assentada nas encostas da montanha, colocando em risco quase 1.800 moradores, informou uma fonte da Proteção Civil na terça-feira (30).

O rio de lava avançou como resultado da intensa atividade eruptiva de quase dois meses do Pacaya, localizado a 25 km ao sul da capital, atingindo 2.400 metros de extensão a oeste do cone vulcânico, explicou aos jornalistas, David de León, porta-voz da Coordenação Nacional de Redução de Desastres (Conred).

A lava colocou em risco a comunidade de El Patrocinio, no município de San Vicente Pacaya, que, junto com outras localidades próximas ao vulcão, possui "sistemas de alerta" e "alarmes de prevenção para evacuação" se necessário, acrescentou o funcionário.

Segundo a Conred e o Instituto Estadual de Vulcanologia, o fluxo de lava está a 1,5 km de El Patrocinio e avança entre 50 e 60 metros por dia.

Em caso de evacuação, "existem 14 centros que estão previstos (para) funcionar como abrigos" em San Vicente Pacaya e nos outros municípios de Amatitlán e Villa Canales, que compartilham a jurisdição deste vulcão de 2.552 metros de altitude, acrescentou De Léon.

Há uma semana, rajadas de vento causaram uma chuva de cinzas em regiões ao norte do monte, incluindo a Cidade da Guatemala, que obrigou o fechamento do aeroporto La Aurora, único aeroporto internacional do país, por um dia.

El Pacaya registrou uma poderosa erupção em 27 de maio de 2010, que matou um jornalista de televisão enquanto cobria o noticiário. Também causou danos às plantações.

Juntamente com o Pacaya, na Guatemala os vulcões de Fuego (sudoeste) e Santiaguito (oeste) estão ativos. O país tem cerca de trinta vulcões.

hma/rs/gf/mvv