Wajngarten diz que pediu à CBF para TV Brasil transmitir jogo da seleção

RICARDO DELLA COLETTA
·3 minuto de leitura
ARQUIVO*  BRASÍLIA, DF, 27.04.2020 - O secretário de Comunicação Fábio Wajngarten. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 27.04.2020 - O secretário de Comunicação Fábio Wajngarten. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Fabio Wajngarten, afirmou que pediu autorização à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para que a TV Brasil transmita o jogo entre a seleção brasileira e o Peru, na noite desta terça-feira (13).

No entanto, os direitos de transmissão do jogo, que ocorre em Lima, pertencem à Federação Peruana de Futebol, que os negociou com uma empresa de mídia.

"Uma Nação apaixonada pelo futebol ficará sem ver hoje a Seleção jogar contra o Peru, pelas Eliminatórias. O jogo será transmitido apenas pela TV fechada. Em conversa há pouco com a direção da CBF, pedi autorização para a TV Brasil transmitir a partida. Vamos torcer", escreveu Wajngarten em uma rede social.

O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, disse à reportagem que conversou com Wajngarten, que lhe fez o pedido, mas que a decisão não depende da entidade.

"Ele nos fez esse apelo, mas é uma questão comercial a ser tratada. Nós não temos nenhum indicativo ainda disso, mas realmente ele fez o pedido. A resposta em relação ao pedido nós não temos porque depende da Federação Peruana e da [empresa] MediaPro", afirmou Feldman. "Eu estou conversando com a nossa área jurídica e a área de mídia para fazer o retorno ao Fabio Wajngarten."

A assessoria de comunicação da Federação Peruana afirmou que não está em negociações e que os interessados precisam entrar em contato com a GolTV Latinoamerica: "A Federação Peruana de Futebol respeita os direitos internacionais cedidos à GolTV Latinoamerica".

O jogo será o segundo da seleção brasileira pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022.

No Brasil, a partida só poderá ser vista no streaming. O EI Plus, plataforma da empresa americana Turner, comprou os direitos de transmissão do duelo.

A assinatura do serviço, que também exibe Champions League, Liga das Nações e alguns jogos do Campeonato Brasileiro, custa R$ 19,90 por mês ou R$ 13,90 no plano anual.

Também é possível ter acesso ao EI Plus em plataformas que dão acesso a ele e outros canais, como o UOL Esporte Clube e a Guigo TV, com preços variando de acordo com os pacotes.

Será a primeira vez desde junho de 2017 que uma partida da seleção brasileira não terá transmissão do Grupo Globo. Naquele mês, a equipe nacional fez dois amistosos que tiveram geração de imagens da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e exibição na TV Cultura, TV Brasil e plataformas online.

Na época, o contrato da emissora carioca com a CBF para os amistosos havia vencido. Posteriormente, a Globo fechou novo acordo com a confederação até 2022, mas ele não vale para todos os jogos das Eliminatórias.

Isso porque a negociação dos direitos da competição mudou de formato em relação a edição anteriores. A Conmebol determinou que cada associação nacional tem direito a vender as exibições dos confrontos em que a sua seleção é mandante. Até então, o contrato era fechado de maneira direta com a Confederação Sul-Americana.

O EI Plus chegou a um acordo com oito seleções para a transmissão de jogos nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias: Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

A Globo por enquanto tem direito às partidas da seleção brasileira em casa. A emissora também conseguiu acordo com a AFA (Associação Argentina de Futebol) para os jogos que a Argentina fará como mandante, incluindo o contra o Brasil. São as duas entidades que não entraram no pool formado pela empresa espanhola Mediapro com as demais federações.

Os jogos da terceira e quarta rodadas, que acontecerão de 12 a 17 de novembro, ainda estão em aberto. No dia 12, o Brasil enfrentará a Venezuela no Morumbi. Essa transmissão está garantida na Globo. Mas o confronto com o Uruguai cinco dias depois, em Montevidéu, ainda não tem exibição definida.