Wall Street fecha em queda na conclusão de trimestre sólido

Placa de Wall Street próximo a bandeiras americanas

Wall Street fechou nesta sexta-feira um sólido trimestre com uma queda de seus índices depois que o presidente Donald Trump ordenou empreender ações para reduzir o déficit comercial americano.

O índice industrial Dow Jones caiu 0,31% a 20.663,22 unidades, e o tecnológico Nasdaq cedeu 0,04%, a 5.911,74 unidades. O S&P 500 perdeu 0,32%, a 2.362,72 unidades.

Os três índices fecharam o primeiro trimestre do ano com sólidos lucros. O Nasdaq foi o que mais subiu, ao ganhar cerca de 10%.

Nesta sexta-feira, Trump ordenou que identifiquem os países e mercados responsáveis pelo déficit comercial de 50 bilhões de dólares mensais dos Estados Unidos.

Analistas apontaram que somente o tempo dirá se a enérgica retórica de Trump é acompanhada de medidas significativas, mas a atitude do presidente deixa à mostra os riscos de uma guerra comercial.

Jack Ablin, chefe de investimentos do BMO Private Bank, atribuiu a fraca performance desta sexta-feira ao fato de que no fechamento de cada trimestre os investidores tendem a vender as ações que não tiveram bom rendimento.

Ablin disse que os investidores estão muito otimistas devido aos dados da economia americana que foram divulgados nos últimos dias.

Este fator amenizou sua decepção pelo fraco avanço da agenda econômica de Trump, que havia gerado altas recorde em Wall Street.

Os investidores, disse, deixam para trás os retrocessos políticos a curto prazo e dão mais atenção para as perspectivas de crescimento econômico.

No mercado de títulos, o rendimento dos bônus do Tesouro a 10 anos caiu para 2,393% contra 2,421% de quinta-feira, e o dos bônus a 30 anos retrocedeu para 3,014% diante dos 3,036% na véspera.