Walmart apresenta tecnologia de 'provador virtual'

Comprador poderá usar a própria foto para ver se a roupa comprada na loja online combinará com seu estilo (Getty Creative)
Comprador poderá usar a própria foto para ver se a roupa comprada na loja online combinará com seu estilo (Getty Creative)
  • Nova tecnologia usa inteligência artificial;

  • “Be Your Own Model” permite ao comprador usar suas próprias fotos para escolher a roupa que comprará;

  • Opção está sendo lançada primeiro para usuários iOS do aplicativo Walmart.

O Walmart anunciou uma nova tecnologia de prova virtual de roupas com inteligência artificial que permite aos compradores online visualizarem, antecipadamente, como cada peça ficará no seu próprio corpo.

Com a tecnologia, chamada “Be Your Own Model”, o comprador de determinada roupa pode usar suas próprias fotos para ver se aquela blusa ou calça, por exemplo, combinará com seu estilo.

Antes dessa nova interface, os clientes do Walmart.com podiam selecionar entre dezenas de modelos diferentes para encontrar aquele que melhor se parecesse com eles, a fim de ver como as roupas provavelmente ficariam em seu próprio corpo e com seu próprio tom de pele, em uma variedade de itens de vestuário.

De acordo com informações do portal TechCrunch, a tecnologia de teste virtual vem da aquisição da startup Zeekit pelo Walmart em 2021. O recurso de visão computacional é capaz de analisar imagens de catálogo de roupas para criar uma imagem vestida. O uso de redes neurais ajuda a determinar as diferentes variações de um produto, incluindo tamanho, cor e outros fatores – como drapeado de tecido ou comprimento da manga, por exemplo.

A opção está sendo lançada primeiro para usuários iOS do aplicativo Walmart e em seguida, estará disponível na web. Já o lançamento da plataforma para o Android deverá ocorrer nas próximas semanas.

Maior empresa do mundo

No mês passado, o Walmart foi considerado a maior empresa do mundo, segundo o ranking anual Fortune Global 500. A empresa ocupa a liderança pelo nono ano consecutivo, mesmo após a perda bilionária da família Walton, a mais rica do mundo e responsável pela gigante.

No ano passado, a companhia teve aumento de 1,2% nos lucros em 2021 e crescimento de 2,4% nas vendas, boa parte devido às ofertas no comércio eletrônico. Com o objetivo de superar a concorrência acirrada com a Amazon e o DoorDash, serviço de delivery norte-americano, o Walmart também inovou por meio de entregas de geladeiras e apostou em caminhões sem motorista para levar os produtos aos consumidores.

O serviço de coleta na calçada (pickup), em que o consumidor compra o produto online e vai até a loja retirá-lo, também foi uma estratégia que deu certo durante a pandemia, responsável por gerar vendas de US$ 20,5 bilhões em 2021.