Wassef chama a CPI de invasora de contas de brasileiros

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 23-07-2019: Retrato de Frederick Wassef. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 23-07-2019: Retrato de Frederick Wassef. (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O advogado Frederick Wassef foi ao Senado nesta sexta-feira (25) e disse que a CPI da Covid é "invasora de contas de brasileiros". Ele disse a jornalistas ter sido informado que seu sigilo havia sido quebrado pela comissão, o que ainda não ocorreu.

Wassef disse que teve acesso a um documento que teria sido redigido pelo presidente da CPI, Omar Aziz, e que pede a quebra de sigilo dele, de Willer Thomaz e José Carlos da Silva Paludeto.

Wassef estava sem máscara, mas depois colocou uma que foi entregue por assessores da CPI. Mesmo assim, ele a usou de forma errada, com o nariz à mostra.

O advogado foi citado nesta sexta pelo relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL). O parlamentar perguntou se os depoentes conheciam o advogado, o que ambos negaram.

Integrantes da CPI querem saber se ele agiu junto com o senador Flávio Bolsonaro para que o governo supostamente favorecesse a empresa Precisa Medicamentos.

"Estou aqui em meu nome neste momento, mencionaram o meu nome várias vezes dizendo que eu seria um elo entre o governo e a empresa da vacina Covaxin sem qualquer fundamento, sem qualquer indício. Simplesmente pediram a quebra do meu sigilo bancário e fiscal. Quero saber se a função da CPI é usar como máquina de arapongagem, espionagem e invasão de contas de brasileiros inocentes."

Ele disse ainda que quem matou as 500 mil pessoas foram os governos anteriores, que mandaram o dinheiro para Cuba ao invés de construir hospitais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos