Após Weinstein, Asia Argento acusa diretor americano de estupro

(Arquivo) Foto tirada em 26 de maio de 2013 mostra atriz italiana Asia Argento, em Cannes

A atriz italiana Asia Argento, que acusou, na semana passada, o produtor americano Harvey Weinstein de ter lhe estuprado, denunciou crimes similares de um diretor de Hollywood, cujo nome não revelou.

"Um grande diretor de Hollywood com um complexo de Napoleão me deu GHB (uma das drogas usadas como "boa noite, Cinderela") e me estuprou enquanto eu estava inconsciente, tinha 26 anos", escreveu neste domingo (15) no Twitter.

Em outra publicação, a filha de 42 anos do diretor italiano Dario Argento, que começou sua carreira bem jovem, escreveu: "Um diretor/ator italiano me mostrou seu pênis quando eu tinha 16 anos, em seu trailer, enquanto falávamos do personagem".

Em uma entrevista publicada no domingo no jornal italiano Stampa, a atriz comentou suas acusações contra o magnata de Hollywood Harvey Weinstein que, segundo ela, lhe obrigou a fazer sexo oral em um quarto de hotel da Costa Azul da França em 1997.

"Weinstein é um predador em série. Fez isso com centenas de mulheres. Se o escândalo não veio à luz antes é porque todos silenciavam ele. Não pagou só mulheres, mas também jornais e jornalistas", declarou.

Cinco atrizes acusaram Weinstein de ter estuprado elas, e dezenas disseram ter sido vítimas de abuso ou agressões sexuais por parte do produtor. Ele nega todas as acusações.

Weinstein, de 65 anos, um produtor muito poderoso de Hollywood durante anos, tornou-se uma espécie de pária desde que a revista The New Yorker e o jornal The New York Times publicaram reportagens sobre as acusações de abusos.